Dia da Criação convida a preservar a água

A necessidade de salvaguardar a água, e de a colocar ao alcance de todos, é o ponto central da celebração deste ano do Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, que acontece sábado, 1 de setembro.

No final da audiência geral desta quarta-feira, o Papa Francisco lembrou a realização da Jornada Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, que acontece pelo quarto ano consecutivo, «em união com os irmãos e irmãs ortodoxos e outras Igrejas e comunidades cristãs». «Na Mensagem deste ano, desejo chamar a atenção para a questão da água, um bem primário que devemos salvaguardar e colocar à disposição de todos», frisou o Santo Padre.

«Estou grato pelas diversas iniciativas que, em diferentes lugares, as Igrejas particulares, os Institutos de Vida Consagrada e os organismos eclesiais se dispuseram a promover», afirma Francisco, que convida «todos a unir-se em oração, sábado, pela nossa casa comum, pelo cuidado da nossa casa comum».

A Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana dedicou uma Nota ao Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, realçando a necessidade de ações concretas em defesa da Terra e dos seus recursos, e salientando que «ninguém se pode resignar» ou «deixar cair os braços» perante os desafios que envolvem o planeta.

O organismo da Conferência Episcopal Portuguesa desafia as comunidades cristãs a rezar pela «conversão dos corações» dos que têm responsabilidade direta na delapidação dos recursos naturais e recorda a importância da Conferência sobre o Clima, que a ONU promove em dezembro, na Polónia. A iniciativa é aguardada com «expectativa» pela Igreja Católica, que espera que esta reunião permita vislumbrar um horizonte mais risonho para aqueles que são afetados pelas consequências das ações cometidas contra a Natureza e o Homem.

«Queremos ser pessoas que cuidem da nossa casa comum de forma criativa e responsável», afirma a Comissão, que reconhece o contributo dos mais novos para uma mudança de paradigma neste campo. «São as novas gerações aquelas que, entre nós, mais se têm empenhado da reflorestação e na limpeza das praias e dos matos», afirma, saudando a «inclusão, no currículo escolar, de temas que contribuem para uma educação ecológica».

Para assinalar este Dia Mundial, o Passo-a-Rezar tem uma proposta de oração, convidando a uma oração que comprometa todos e cada um com a obra criadora de Deus, num compromisso para cuidar, para embelezar, para louvar. Para aceder a estes minutos de oração, basta clicares aqui.

 

Guardar a criação

O Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação foi instituído pelo Papa Francisco em 2015 e incluído no calendário católico (a 1 de setembro) também com um propósito ecuménico, uma vez que a data é igualmente comemorada pela Igreja Ortodoxa. O Papa entende que esta é uma «ocasião para fortalecer o compromisso comum em prol da salvaguarda da vida, no respeito pelo meio ambiente e pela natureza».

Na Carta em que instituiu a celebração, o Santo Padre afirma que este Dia Mundial oferece «a cada fiel e às comunidades a preciosa oportunidade para renovar a adesão pessoal à própria vocação de guardião da criação, elevando a Deus o agradecimento pela obra maravilhosa que Ele confiou ao nosso cuidado, invocando a sua ajuda para a proteção da criação e a sua misericórdia pelos pecados cometidos contra o mundo em que vivemos».

Neste contexto, em 2016, Francisco tomou a liberdade de propor um complemento aos dois elencos de sete obras de misericórdia (corporais e espirituais), «acrescentando a cada um o cuidado da casa comum». Como obra de misericórdia espiritual, este cuidado «requer “a grata contemplação do mundo”, que “nos permite descobrir qualquer ensinamento que Deus nos quer transmitir através de cada coisa”. Como obra de misericórdia corporal, o cuidado da casa comum requer aqueles “simples gestos quotidianos, pelos quais quebramos a lógica da violência, da exploração, do egoísmo” e se manifesta o amor “em todas as ações que procuram construir um mundo melhor”».

Esta tem sido uma preocupação recorrente do Papa Francisco, que, em fevereiro de 2016, dedicou uma das suas intenções precisamente ao cuidado da criação, «recebida como dom gratuito, a cultivar e proteger para as gerações futuras», uma intenção divulgada nomeadamente através de O Vídeo do Papa.

 

Fontes: Ecclesia e Renascença

Imagem: © Samuel Zeller (em Unsplash.com)