Domingo é Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação

Este domingo, 1 de setembro, celebra-se o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, que se assinala pelo quinto ano consecutivo. Este ano, o tema é 'A rede da vida'. Neste contexto, somos convidados pelo Santo Padre a recordar que devemos todos contribuir para ultrapassar a atual crise ecológica.

Este ano, Francisco destaca, na intenção de oração de setembro, o compromisso com a proteção dos oceanos. Como refere na encíclica Laudato Si', "os oceanos contêm não só a maior parte da água do planeta, mas também a maior parte da vasta variedade dos seres vivos", alimentando grande parte da população mundial. A "extração descontrolada" de espécies marinhas para consumo humano provoca "drásticas diminuições de algumas espécies", sublinha o Papa.

O Santo Padre convida políticos, cientistas e economistas a "trabalharem juntos", agindo interdisciplinarmente e de forma sustentável e integrada, não descorando a dimensão humana da problemática.

Também a Comissão Episcopal de Pastoral Social e Mobilidade Humana convida todas as comunidades cristãs a "dar graças a Deus pela Criação", pedindo a Deus a conversão dos "corações daqueles de quem dependem as efetivas mudanças nas políticas públicas" que causam a degradação ambiental.

Por ocasião do Dia Mundial da Água 2019, celebrado a 22 de março, Francisco realçou a importância do lema escolhido − 'Não deixar ninguém para trás' − por sublinhar a "consciência da necessidade de responder com gestos concretos". A elaboração de "planos de financiamento" e de "projetos hídricos de vasto alcance", assim como a educação e a "consciencialização" das "novas gerações para o uso e o cuidado da água" foram apontados como medidas prioritárias pelo Santo Padre. A este propósito, a Comissão Episcopal de Pastoral Social e Mobilidade Humana recomenda "especial prudência no gasto da água" devido à diminuição do caudal dos rios e ao risco de seca persistente.

A Amazónia, região da América do Sul recentemente atingida por incêndios, também é lembrada neste Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação. O Santo Padre apela a um "compromisso de todos" para que os incêndios "sejam dominados o mais rapidamente possível". "Este pulmão de florestas é vital para o nosso planeta", relembra.

"Se a Amazónia sofre, o mundo sofre". É recordando as palavras do Conselho Episcopal Latino-Americano que a Comissão Episcopal de Pastoral Social e Mobilidade Humana evoca o cenário de devastação da floresta amazónica para sublinhar a pertinência da realização do Sínodo da Amazónia, no próximo mês de outubro. A "qualidade da reflexão" promovida no âmbito do Sínodo "permitirá ensaiar novos e corajosos passos" do "ser Igreja", preparando o futuro em linha com o Concílio Vaticano II, conclui.

Instituído, em 2015, pelo Papa Francisco, dois meses depois da publicação da encíclica Laudato Si', o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação procura oferecer "a cada fiel e às comunidades a preciosa oportunidade para renovar a adesão pessoal à própria vocação de guardião da criação", como explica o próprio Santo Padre na carta de instituição da data.