Papa convida a viver a paz a partir do coração

“Podemos falar com palavras esplêndidas, mas, se no nosso coração não há paz, não haverá no mundo”, afirma o Papa, na edição de novembro de “O Vídeo do Papa”, convidando os fiéis a viverem a paz a partir do coração e a praticá-la nas pequenas coisas e nas relações sociais.

Francisco elegeu como intenção de oração para este mês “a transmissão da paz” e, neste sentido, pede que “rezemos juntos para que a linguagem do coração e do diálogo prevaleça sempre sobre a linguagem das armas”.

“Com zero violência e cem por cento de ternura, construamos a paz evangélica que não exclui ninguém”, recomenda o Santo Padre, acentuando a importância de se praticar a paz na relação com os outros e de se construir uma paz que inclua os jovens e as crianças.

No vídeo, realizado pela Rede Mundial de Oração do Papa, Francisco realça o valor de se saber ouvir quando se comunica com os outros e de nos adaptarmos a cada contexto tal como fazia Jesus.

A preocupação do Sumo Pontífice da Igreja Católica em promover a paz sobretudo junto dos mais novos compreende-se ao saber que 90 por cento das vítimas civis nos conflitos armados são mulheres e crianças e que, durante 2017, houve 21 mil atos de violência grave contra menores (dados da ONU). Segundo a Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), há 68,5 milhões de pessoas deslocadas à força no mundo, 25,4 milhões são refugiados, 40 milhões são deslocados internos e 3,1 milhões requerentes de asilo.

O Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM), fazendo eco do convite do Papa Francisco, lançou a campanha “Precisamos no mundo inteiro: Zero Violência, 100% de Ternura”. A mobilização social de caráter ecuménico atravessa toda a América Latina e o Caribe, desde a fronteira do México com os Estados Unidos até a Patagónia. Denuncia assim as diversas formas de violência contra as crianças e propõe a ternura como caminho para promover a vida e a dignidade dos menores. O Movimento Eucarístico Juvenil (MEJ) na América Latina e no Caribe apoia esta campanha.

O diretor internacional da Rede Mundial de Oração do Papa e do Movimento Eucarístico Juvenil, P. Frédéric Fornos, sj, defende que “a paz entre os povos começa nas nossas relações quotidianas, quando na rua me encontro com o outro, em particular quando o outro é diferente de mim, pela sua linguagem e cultura”.

“A paz e a harmonia entre os povos da terra começa assim, nas ruas, nas casas, nas minhas atividades e na minha família, rejeitando o medo do outro e respeitando-o”, refere