Papa pede orações e ações em defesa dos oceanos

Os mares e oceanos, que albergam «a maior parte da água do planeta e também a maior variedade de seres vivos», são uma prioridade para o Papa Francisco.

Na edição de setembro de O Vídeo do Papa, o Santo Padre chama a atenção de todos os católicos para que rezem com ele e atuem, pedindo para que os políticos, cientistas e economistas trabalhem juntos para alcançar medidas de proteção.

Francisco quer gestos concretos para enfrentar o problema da gestão injusta dos mares e realça a necessidade de implementar uma «abordagem interdisciplinar» que tenha em conta a pessoa humana.

«A Criação é um projeto do amor de Deus pela humanidade», sublinha Francisco, recordando que o dever solidário dos católicos com a “Casa Comum” «nasce da nossa fé».

Esta edição de O Vídeo do Papa marca, também, o início do “Tempo da Criação”, que se inicia com o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, a 1 de setembro, e se prolonga até 4 de outubro, dia de S. Francisco de Assis.

O diretor internacional da Rede Mundial de Oração do Papa, padre Frédéric Fornos, sj, recorda que o Papa tem apelado à proteção dos ecossistemas marinhos através de um compromisso com «mentalidade ativa, rezando como se tudo dependesse da Divina Providência e trabalhando como se tudo dependesse de nós».

A cada ano, 13 milhões de toneladas de plástico infiltram-se no oceano, provocando, entre outros danos, a morte de 100 mil espécies marinhas. Os plásticos que se deterioram no mar acabam por se converter em microplásticos, que acabam por ser ingeridos por peixes e outros animais marinhos, contaminando a cadeia alimentar a nível global.

O fitoplâncton, organismo microscópico que flutua na água e que produz oxigénio através do processo de fotossíntese, é responsável pela produção de mais de metade do oxigénio presente na atmosfera, essencial à vida na Terra. Os oceanos são, por isso, considerados um dos pulmões do planeta.

O Vídeo do Papa de setembro resulta do trabalho conjunto da agência La Machi - Comunicação para Boas Causas, da Vatican Media e da equipa de produção Esperança, dirigida pelo produtor Jean-Yves Robin e por Yann Arthus-Bertrand, realizador do documentário “Humanos” (2015), vencedor do prémio de melhor documentário nos festivais de cinema de Pequim e de Vancouver, em 2016.