"Passos de Contrição" pelas vítimas dos abusos e pela conversão da Igreja

O Passo-a-Rezar e o Ponto SJ prepararam uma oração especial pelas vítimas dos abusos sexuais cometidos por membros da Igreja e pela conversão da Igreja. Nesta oração, propõe-se que cada cristão possa tocar o sofrimento dos que foram vítimas de abusos sexuais, de poder e de consciência por parte de sacerdotes e religiosos e possa rezar para que a Igreja seja capaz de encontrar as melhores formas de reparar estes pecados e feridas, num caminho de verdade e transparência, atuando também de forma a que não voltem a repetir-se.

Com duração de 14 minutos, esta oração de penitência e apelo à conversão tem como textos condutores a “Carta ao povo de Deus”, dirigida pelo Papa Francisco a todos os crentes, em agosto de 2018, e o Evangelho de São Mateus, em que Jesus fala das crianças. Foi escrita por Pedro Gil e tem como leitores Paulo Nogueira (pontos) e Rita Nascimento (texto bíblico).

O convite para rezares estes "Passos de Contrição" é feito na semana em que arranca no Vaticano o encontro do Papa com os presidentes das conferências episcopais para abordar o tema dos abusos sexuais. Neste encontro, que decorre entre 21 e 24 de fevereiro, procura-se dar aos bispos uma noção mais profunda do problema, sublinhando o sofrimento que os abusos acarretam para as vítimas, as suas famílias, a Igreja enquanto instituição e a sociedade em geral. Os "Passos de Contrição" pretendem também ser uma oração em que todos, enquanto Igreja, se sintam responsabilizados e interpelados a estar mais atentos a estas situações.

Este domingo, no final da oração do Angelus, na praça de São Pedro, em Roma, o Santo Padre pediu orações por este encontro, que classificou como “um ato de forte responsabilidade pastoral perante um desafio urgente do nosso tempo”.

Em Roma reúnem-se 190 pessoas, incluindo 114 presidentes de conferências episcopais, os chefes das Igrejas católicas orientais, os superiores da Secretaria de Estado do Vaticano, os prefeitos de várias congregações e dicastérios da Cúria Romana (Doutrina da Fé, Igrejas Orientais, Bispos, Evangelização dos Povos, Clero, Institutos de Vida Consagrada; Leigos, Família e Vida) e representantes dos institutos religiosos, além dos membros do conselho consultivo de Cardeais e membros da organização do evento.

Em conferência de imprensa, o porta-voz do Vaticano agradeceu a “coragem” das vítimas de abusos sexuais, cometidos por membros do clero ou em instituições religiosas, e o trabalho dos jornalistas que contaram as suas histórias. “É preciso o compromisso de todos para olhar este monstro nos olhos, se o queremos derrotar”, disse Alessandro Gisotti, diretor interino da sala de imprensa da Santa Sé, na apresentação da inédita cimeira que o Papa convocou. Nestes três dias de trabalho vão ser abordados, sucessivamente, temas como a responsabilidade, accountability (prestação de contas) e transparência.