Sexta-feira, memória litúrgica de S. Vicente de Paulo

Sexta-feira, memória litúrgica de S. Vicente de Paulo

“Bendito seja o Senhor, meu refúgio”... Estas palavras do salmista não fazem de Deus um lugar onde te escondes do mundo. Podes pensar neste Senhor, teu refúgio, como a retaguarda, o lugar do repouso depois da batalha. Neste lugar recuperas forças, pois novas batalhas te esperam ao longo do caminho. Podes pensar também no Senhor como o refúgio onde encontras acolhimento para as tuas dores, onde a tua vida se refaz cada dia, para poderes continuar... Entrega a tua vida ao Senhor, teu refúgio... e começa assim a tua oração.

Quinta-feira da vigésima quinta semana do tempo comum

Quinta-feira da vigésima quinta semana do tempo comum

O tempo de Deus é diferente do teu. Tu vives a pressa de todos os dias, a urgência de fazer isto e aquilo, a necessidade de responder às muitas solicitações que cada dia traz consigo. Deus ama e, por isso, não tem pressa. Espera por ti, enquanto tu andas por fora, ocupado com as muitas coisas do teu dia. Agora que te dispões a encontrar-te com o Senhor na oração, Ele alegra-Se contigo porque encontraste o caminho da felicidade e vais percorrer esse caminho pelo menos durante alguns momentos. Agradece ao Senhor por caminhar contigo e começa assim a tua oração.

Quarta-feira da vigésima quinta semana do tempo comum

Quarta-feira da vigésima quinta semana do tempo comum

“Na terra do meu exílio louvarei o meu Senhor”. A vida longe do Senhor é sempre vivida no exílio. Não precisa de ser um exílio físico, basta que te sintas interiormente longe de Deus. Certamente, isso já te aconteceu. Pode até estar a acontecer agora, enquanto te preparas para rezar. Seja qual for a tua situação, louva o Senhor, pois Ele não te abandona nunca, nem permite que sejas tentado para além das tuas forças. E começa assim a tua oração.

Terça-feira da vigésima quinta semana do tempo comum

Terça-feira da vigésima quinta semana do tempo comum

“Quero cumprir a vossa lei, agora e para sempre”. Este desejo do salmista exprime a convicção de que viver segundo a lei do Senhor é fonte de felicidade duradoura. Hoje já não há muito quem pense assim. A lei do Senhor aparece como uma imposição que põe em causa a liberdade individual e, por isso, impede a felicidade. Pede ao Senhor a graça de perceberes onde está a verdadeira alegria, o caminho que conduz à terra da liberdade. E começa assim a tua oração.

Segunda-feira da vigésima quinta semana do tempo comum

Segunda-feira da vigésima quinta semana do tempo comum

A oração é como uma sementeira: por vezes, a semente é lançada à terra sem muita esperança, pois o tempo está pouco propício. Com o passar dos dias, vais-te esforçando por cuidar da pequena semente, dando o teu melhor, insistindo sempre. E, um dia, depois de muitos esforços e talvez algumas lágrimas, brota um sorriso largo no teu interior, pois a semente tão longamente cuidada acabou dando frutos abundantes. Hoje, louva o Senhor por todos os frutos já colhidos e por aqueles que ainda poderás colher. E começa assim a tua oração.

Vigésimo quinto domingo do tempo comum

Vigésimo quinto domingo do tempo comum

O domingo é o mais extraordinário dos sonhos. Um sonho tal que nunca um ser humano se atrevera a sonhá-lo. Sonhou-o Deus por nós e, porque era um sonho de Deus, tornou-se realidade: o dia da ressurreição do Senhor e da nossa ressurreição com Ele. Mas a nossa liberdade permite-nos recusar aquilo que Deus sonhou e realizou para cada um de nós. Hoje, medita nesta verdade: o Senhor oferece-te cada dia a novidade da ressurreição; tu podes aceitar ou recusar, escolher a vida nova ou a morte antiga que habita em ti. Meditando no poder da tua liberdade, começa a tua oração.

Sexta-feira, memória litúrgica dos mártires André Kim Tae-Gon, Paulo Chong Ha-Sang e seus companheiros de martírio

Sexta-feira, memória litúrgica dos mártires André Kim Tae-Gon, Paulo Chong Ha-Sang e seus companheiros de martírio

O martírio tem sido uma constante na história dos cristãos. Hoje é quase um acontecimento quotidiano. E mesmo em países onde a liberdade religiosa é legalmente respeitada, são cada vez mais as formas, legais e não legais, de discriminar quem promove publicamente valores essenciais do ser cristão. Neste dia em que a Igreja faz memória de um grande número de mártires cristãos na Coreia do século XIX, traz à tua oração os cristãos de hoje, perseguidos, maltratados e mortos por causa da sua fé. E reza também por quantos se dedicam a aliviar os seus sofrimentos, de modo particular os voluntários da Ajuda à Igreja que Sofre.

Quinta-feira da vigésima quarta semana do tempo comum

Quinta-feira da vigésima quarta semana do tempo comum

A misericórdia do Senhor é eterna. O Senhor nunca deixa de Se debruçar sobre a tua miséria para te curar, para te salvar dos abismos de mal e de pecado onde estás constantemente a cair. Podes nem te aperceber desta presença, porque é discreta e humilde: a misericórdia não sabe ser de outro modo. Discreta e humilde, mas sempre disponível para acolher e perdoar. Agradece ao Senhor porque a sua misericórdia é eterna... E começa assim a tua oração.

Quarta-feira da vigésima quarta semana do tempo comum

Quarta-feira da vigésima quarta semana do tempo comum

“A terra está cheia da bondade do Senhor”. Porque será que olhamos o mundo como um lugar onde o mal impõe a sua lei? As palavras do salmista podem ajudar-te a olhar o mundo com olhos renovados. Não é verdade que a maldade seja a mais poderosa, pois “a terra está cheia da bondade do Senhor”. Podes não conseguir encontrar esta bondade, mas ela está por aí, por todo o lado, em pequenos gestos que não constituem notícia. Deixa o Senhor mostrar-te a sua bondade, deixa que esta bondade preencha todos os recantos do teu ser, especialmente os mais sombrios e afastados de Deus... e começa assim a tua oração.

Terça-feira da vigésima quarta semana do tempo comum

Terça-feira da vigésima quarta semana do tempo comum

Procura que estes momentos iniciais da tua oração sejam tempo de silêncio interior e de paz. É importante cultivar este desejo, mesmo se não te sentes capaz de o pôr em prática, perante as muitas preocupações do teu dia. Se isso acontecer, se não conseguires a paz interior que desejas, não te deixes abater. Entrega ao Senhor o tumulto que te invade e perturba. E começa assim a tua oração.

Segunda-feira, memória litúrgica dos santos Cornélio, Papa, e Cipriano, bispo

Segunda-feira, memória litúrgica dos santos Cornélio, Papa, e Cipriano, bispo

O Senhor vem continuamente ao teu encontro, procurando encontrar-te distraído das muitas coisas que te ocupam, para dares alguns momentos ao que é verdadeiramente importante: a tua relação com o Deus da tua vida, o teu salvador e Senhor, o teu mestre e amigo. Deus nunca Se cansa de te procurar, mas também nunca te impõe a sua presença. Deixa-Se ficar no silêncio, alegrando-Se contigo, sofrendo contigo, esperando por ti... Hoje, dá ao Senhor a alegria de te deixares ficar na sua presença... e começa assim a tua oração.