Quinta-feira da terceira semana da Quaresma

Quinta-feira da terceira semana da Quaresma

É em Deus que vivemos e respiramos, é na sua Graça que existimos. A nossa vida de oração recebe o seu caudal das imagens e das experiências que vivemos. Mas, ao mesmo tempo,  a oração permite-nos ter um espaço de abertura, um tempo de respiro e de encontro  com o mistério que nos habita.   Abre-te a este mistério, deixa que ele respire em ti. E começa assim a tua oração.

Quarta-feira da terceira semana da Quaresma

Quarta-feira da terceira semana da Quaresma

Diz-nos o salmista: «Louva o Senhor, porque é bom cantar! É agradável e é justo louvar o nosso Deus.
Ele cura os de coração atribulado e trata-lhes das feridas. Ele fixa o número das estrelas e chama a cada uma pelo seu nome...» O Senhor conhece-te, chama-te pelo teu nome, é a ti que se dirige a sua Palavra. Mesmo na tribulação, mesmo na ferida, nunca deixes de cantar e de louvar: é aí que reside o princípio da libertação. Começa assim a tua oração. 

Terça-feira da terceira semana da Quaresma

Terça-feira da terceira semana da Quaresma

A oração brota da experiência de Deus como os frutos nascem da árvore. Entrar na aventura da oração
é encontrar-se com as imagens que temos de Deus, com as experiências que transportamos, com as feridas que marcam a nossa história. Coloca-te diante de Deus na maior abertura que te for possível. Apresenta-Lhe, simplesmente, aquilo que és, e Ele te conduzirá à Verdade plena da tua vida, da tua história, dos teus desejos. Começa assim a tua oração.

Segunda-feira, solenidade litúrgica de S. José

Segunda-feira, solenidade litúrgica de S. José

Hoje, a Igreja celebra a solenidade de S. José. A sua história, contada nos silêncios fecundos dos Evangelhos, transporta-nos para experiências fundamentais da nossa vida como a família, o trabalho ou a paternidade. É por aí, na nossa radical e difícil humanidade que a Graça atravessa com a sua beleza,
de mãos dadas com um Menino. Hoje, entrega ao Senhor a tua vida,  nas suas dificuldades, rotinas e sacrifícios. E que a Voz do Anjo te acompanhe sempre. Começa assim a tua oração. 

Terceiro domingo da Quaresma

Terceiro domingo da Quaresma

Vivemos com sede de uma água viva, água de ternura, de compaixão e de sentido. É esta água que o Senhor te convida a procurar: ela está ao teu dispor, vem ao teu encontro nos ritmos e trabalhos dos teus dias. Aquele que te pode dar desta Água está sentado junto ao poço por onde passas todos os dias. Dá-Lhe um pouco da tua atenção e do teu tempo, e Ele poderá surpreender-te. Começa assim a tua oração. 

Sexta-feira da segunda semana da Quaresma

Sexta-feira da segunda semana da Quaresma

Sobre nós repousa o olhar de Deus. Não é um olhar opressivo, inquisidor ou acusatório, pois Deus é bem maior do que todas as imagens que d’Ele temos. Procura o olhar do Pai, deixa-te encontrar, abre o teu coração à sua bênção e à sua paz. Por um momento, silencia todas as vozes de juízo, culpa ou condenação que levas dentro de ti, pois Deus está para lá de todas essas vozes. Começa assim a tua oração.

Quinta-feira da segunda semana da Quaresma

Quinta-feira da segunda semana da Quaresma

Vivemos em contínuo estado de conversão. É a própria vida que nos pede, se estivermos disponíveis e atentos: nas nossas relações e encontros, nos acontecimentos e desafios de cada dia, nos ecos que escutamos quando nos abrimos ao silêncio. É nestas encruzilhadas que somos moldados, quando as agulhas e pontas do nosso ser provocam dor e sofrimento nos irmãos. Que a oração te ajude sempre a moldar, não a endurecer, o teu coração.

Quarta-feira da segunda semana da Quaresma

Quarta-feira da segunda semana da Quaresma

«Nada te perturbe, nada te espante, quem a Deus tem, nada lhe falta: só Deus basta». Assim escreveu Teresa de Ávila, no momento em que as dificuldades  mais a perseguiam. Que nada te perturbe: nem as dificuldades, nem as angústias, nem o stress do dia a dia. Hoje, sussurra para os teus ouvidos e para o teu coração: «que nada me perturbe:  quem a Deus tem, nada lhe falta». Começa assim a tua oração.

Terça-feira da segunda semana da Quaresma

Terça-feira da segunda semana da Quaresma

O caminho da oração leva-nos à experiência profunda da misericórdia de Deus e à descoberta maravilhada do seu perdão. A Quaresma representa este caminho de timbre pascal, de libertação e transformação pessoal. Como nos promete o profeta Isaías, «ainda que os teus pecados sejam vermelhos como a púrpura, ficarão brancos como a lã». Mergulha neste mistério de Amor, deixa-te conduzir, dia a dia, por ele. E começa assim a tua oração.

Segundo domingo da Quaresma

Segundo domingo da Quaresma

O Domingo é a memória semanal da Páscoa de Jesus. É o dia dos recomeços, da coragem de partir em direção à manhã de Páscoa, de alargar a nossa esperança e libertar o nosso coração. O Domingo simboliza a vocação a uma vida nova, divina e humana, filial e fraterna, reconciliada e em paz.
Que esta Quaresma seja para ti um caminho novo, aberto nos desertos dos teus dias. Assim, vale a pena começares a tua oração.

Quinta-feira da primeira semana da Quaresma

Quinta-feira da primeira semana da Quaresma

A nossa mente mergulha com muita facilidade na preocupação connosco, deleitando-se com as nossas virtudes e irritando-se com os nossos vícios e fraquezas. A verdadeira oração liberta-nos deste curto-circuito, abrindo o nosso espírito para a confiança em Deus. Não deixes de buscar o silêncio, a bondade e a confiança como o ar puro, fresco e límpido que preenche o teu respirar. Abre os teus ouvidos à escuta da Palavra; e começa assim a tua oração. 

Quarta-feira da primeira semana da Quaresma

Quarta-feira da primeira semana da Quaresma

A que imagens e símbolos podemos recorrer para mergulhar no mistério da oração? Ela é o alicerce que fundamenta a nossa esperança, o refúgio que podemos encontrar no sofrimento, o alimento para a nossa caminhada diária, por vezes longa e difícil, e a bússola que nos orienta no turbilhão de vozes e imagens que nos habitam. Mas não te esqueças: nada na oração ou na vida espiritual acontece de modo mágico, rápido e eficiente. Por isso, mune-te da esperança e da confiança; e começa assim a tua oração.

Segunda-feira da primeira semana da Quaresma

Segunda-feira da primeira semana da Quaresma

A nossa vida encontra-se sempre em dinâmica de construção, onde têm lugar o fracasso e o recomeço, 
a culpa e o perdão, o pecado e a Graça. Pede ao Senhor a bênção do seu amor, dirige-te a Ele com toda a confiança: afinal, essa é a liberdade maior dos filhos de Deus. Pede-Lhe sobretudo nos momentos mais difíceis, onde germinam as possibilidades de uma vida nova. E começa assim a tua oração.

Primeiro domingo da Quaresma

Primeiro domingo da Quaresma

A nossa vida é marcada por momentos de prova, de dificuldade e de sofrimento. Fazem parte da caminhada humana:  somos chamados a atravessar essas experiências, a deixar que o nosso corpo seja marcado, a temperar o nosso espírito no seu fogo.
A oração é a vida em comunhão com Cristo, que também sentiu, no deserto e ao longo de toda a sua vida, a experiência da tentação e da prova. Une-te a Jesus, sente-te membro do seu Corpo: como proclamou Santo Agostinho, «reconhece-te tentado n’Ele, reconhece-te n’Ele vencedor». E começa assim a tua oração.

Sexta-feira depois das Cinzas

Sexta-feira depois das Cinzas

As palavras não expressam apenas os nossos pensamentos ou sentimentos, mas ajudam-nos a moldar o que somos. Quando os nossos lábios repetem as palavras de uma oração, de um salmo  ou de uma passagem bíblica, a nossa mente adequa-se aos nossos lábios.
Que as palavras de louvor e de ação de graças estejam sempre presentes nos teus lábios, na tua mente e no teu coração. Começa assim a tua oração.

Quinta-feira depois das Cinzas

Quinta-feira depois das Cinzas

A oração é o momento oportuno para o teu encontro pessoal com Deus. Não hesites em viver este encontro com os traços de uma relação filial, de pertença e comunhão.
É o nosso Deus quem nos procura e nos fala ao coração, como nestas palavras do profeta Isaías: «Nada temas, porque Eu te resgatei,  e te chamei pelo teu nome; tu és meu, és precioso aos meus olhos».  Assim, vale a pena começares a tua oração.

Quarta-feira de Cinzas

Quarta-feira de Cinzas

Inicias hoje a tua caminhada de quarenta dias rumo à Páscoa. A Quaresma é um tempo propício para te encontrares com os teus desejos mais vitais, a fome de amor, de perdão e de paz que habita em cada ser humano.
Concentra-te na expressão simbólica das cinzas, na pobreza radical que nos constitui e que tantas vezes tapamos com falsas imagens. Acolhe essa pobreza:  que ela crie em ti um espaço aberto de hospitalidade, acolhimento e verdade. Começa assim a tua oração.