Sexta-feira, memória litúrgica de São Joaquim e Santa Ana, pais de Nossa Senhora

Sexta-feira, memória litúrgica de São Joaquim e Santa Ana, pais de Nossa Senhora

“Como é admirável, Senhor, a vossa bondade!”. Com frequência, esquecemos a bondade de Deus, vencidos pelos nossos sofrimentos ou pelas nossas preocupações. Diante de nós vemos apenas obstáculos, dificuldades... Vemos o mal, imaginário ou real, e ignoramos a bondade do Senhor que nos acompanha a cada instante. Precisamos de repetir, muitas vezes, com o salmista: “Como é admirável, Senhor, a vossa bondade!”. Repete interiormente este grito de louvor... e faz dele o início da tua oração.

Quinta-feira, festa litúrgica do Apóstolo São Tiago

Quinta-feira, festa litúrgica do Apóstolo São Tiago

O apóstolo Tiago, irmão do apóstolo e evangelista João, partilhou com este e com Pedro alguns dos momentos mais significativos da vida pública de Jesus. Depois da ressurreição do Senhor, tornou-se uma das referências da comunidade cristã de Jerusalém. Foi morto por ordem de Herodes Agripa, no ano 42, tornando-se o primeiro apóstolo a dar a vida por Cristo. O exemplo de Tiago pode ajudar-te a entender como é importante viver na intimidade com Jesus, para dar testemunho do seu Evangelho. Pede ao Senhor que te conceda a graça de viver na sua intimidade... e começa assim a tua oração.

Quarta-feira da décima sexta semana do tempo comum

Quarta-feira da décima sexta semana do tempo comum

Rezar implica reconhecer a diferença entre Deus e quem reza... Esta diferença, nós entendemo-la, muitas vezes, como silêncio de Deus. Mas Deus fala de muitos modos e é preciso aprender a escutá-Lo. Para escutar Deus é preciso prestar atenção às coisas pequenas de cada dia, cuidar das pessoas com quem partilhamos a vida, escutar a Igreja e senti-la como nossa, meditar cada dia a Palavra de Deus, a Bíblia, e alimentar o desejo de estar com o Senhor, na oração. Deixa crescer em ti o desejo de Deus... e começa assim a tua oração.

Terça-feira, festa litúrgica de Santa Brígida, Padroeira da Europa

Terça-feira, festa litúrgica de Santa Brígida, Padroeira da Europa

Os santos mostram que é possível viver radicalmente o Evangelho. Alguns fizeram coisas extraordinárias, outros viveram os seus dias na mais completa fidelidade ao Evangelho. Mas, cada um ao seu jeito, todos foram discípulos fiéis do Senhor Jesus. Cada cristão é chamado a ser santo. Tu também és chamado a seguir com alegria os passos de Jesus, como um verdadeiro discípulo. Se, seguindo o Senhor, farás coisas extraordinárias ou viverás a alegria do Evangelho na vida comum de todos os dias, só Deus sabe. Quanto a ti, deseja apenas crescer todos os dias no amor... e começa assim a tua oração.

Segunda-feira, festa litúrgica de Santa Maria Madalena

Segunda-feira, festa litúrgica de Santa Maria Madalena

Celebrar Santa Maria Madalena é também celebrar as mulheres que, desde o início, aparecem associadas à missão de Jesus. Algumas estiveram a seu lado durante a sua vida pública e, diz-nos o evangelista Lucas, serviam-No com os seus bens. Maria Madalena fazia parte deste grupo, acompanhou o Senhor até ao Calvário e foi a primeira testemunha da ressurreição de Jesus. Pensa como é extraordinária esta longa cadeia de testemunhas que trouxe o Evangelho até aos dias de hoje. Dá graças ao Senhor... e começa assim a tua oração.

Décimo sexto domingo do tempo comum

Décimo sexto domingo do tempo comum

O domingo convida a um tempo mais demorado com Deus. Muitos de nós já não sabemos o que isso é, ocupados com tantos ou mais afazeres do que durante os dias da semana. E há também os que devem trabalhar para que outros possam descansar, divertir-se ou ser cuidados, na doença ou na velhice. Isso, porém, não deve ser motivo para descuidar a relação com Deus e o encontro com Jesus e os irmãos, na Eucaristia. Que estes minutos com Deus marquem o teu desejo de não esquecer o sentido humano e cristão do domingo. Procura sentir profundamente este desejo... e começa assim a tua oração.

Sexta-feira da décima quinta semana do tempo comum

Sexta-feira da décima quinta semana do tempo comum

“Como agradecerei ao Senhor tudo quanto Ele me deu?”, interroga-se o salmista. No final de mais uma semana, também podes fazer esta pergunta. Foi certamente uma semana cheia de acontecimentos pelos quais podes sentir gratidão. Procura, no entanto, ir mais fundo, e descobrir a presença de Deus na tua vida, em cada um dos teus dias. Este é o grande dom de Deus, que te permite ver tudo com olhos novos. “Como agradecerei ao Senhor tudo quanto Ele me deu?”... Deixa esta pergunta inquietar-te... e começa assim a tua oração.

Quinta-feira, memória litúrgica do Beato Bartolomeu dos Mártires

Quinta-feira, memória litúrgica do Beato Bartolomeu dos Mártires

“Vós, Senhor, permaneceis para sempre”, proclama o salmista. Repete interiormente estas palavras e deixa que te ajudem a ultrapassar as tuas dúvidas, as incertezas, a dificuldade em acreditar no Senhor. Ele “permanece para sempre” e o seu amor estende-se a todas as gerações. Guarda esta certeza da fé. Faz dela o alicerce dos teus dias, a rocha em que te apoias quando os tempos são maus, a sombra acolhedora nos dias luminosos e bons. Na certeza de que o Senhor permanece para sempre... dá início à tua oração.

Quarta-feira, memória litúrgica dos Beatos Inácio de Azevedo e seus Companheiros, mártires

Quarta-feira, memória litúrgica dos Beatos Inácio de Azevedo e seus Companheiros, mártires

Inácio de Azevedo e os seus jovens companheiros tinham um sonho: levar o Evangelho ao Brasil. O barco onde viajavam foi capturado por piratas protestantes que os assassinaram por ódio à fé católica. Ao todo, foram assassinados quarenta missionários católicos. Mudam os tempos e os locais, mas algo não muda: os cristãos continuam a ser perseguidos, um pouco por toda a parte. E se nem todos enfrentam o martírio, muitos há que não lhe escapam, dando a vida por Cristo e pelo seu Evangelho. Procura não esquecer estes irmãos na fé e aqueles que se esforçam por socorrê-los, como os voluntários da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre. E começa assim a tua oração.

Terça-feira, memória litúrgica de Nossa Senhora do Carmo

Terça-feira, memória litúrgica de Nossa Senhora do Carmo

A oração ajuda-te a tomar consciência do tanto que Deus te dá, cada dia. Em diálogo com o Senhor, encontras mais facilmente motivos para agradecer, porque Ele faz milagres na tua vida. Só precisas de olhar com atenção e verás onde e quando essas pequenas ou grandes maravilhas vão tendo lugar, esses pormenores de que só Deus é capaz... porque te ama infinitamente. Dá nome a algumas dessas obras de arte que Deus vai fazendo na tua vida... e começa assim a tua oração.

Segunda-feira, memória litúrgica do bispo e doutor da Igreja São Boaventura

Segunda-feira, memória litúrgica do bispo e doutor da Igreja São Boaventura

O caminho da oração quase nunca é fácil, porque, com frequência, é o nosso caminho e não o de Deus. Queremos oferecer a Deus uma oração toda nossa, segundo os nossos desejos e estes desejos andam facilmente longe do coração de Deus. Considera por momentos como te sentes hoje, agora que vais começar estes minutos de oração. Se sentires que não estás no caminho reto, pede ao Senhor a graça de te reconduzir aos seus caminhos; se sentires que estás a caminhar com o Senhor, pede-Lhe a graça de não desistires... e começa assim a tua oração.

Décimo quinto domingo do tempo comum

Décimo quinto domingo do tempo comum

Cada domingo traz consigo a memória da Páscoa do Senhor. Não apenas como recordação, mas como atualização, presença real, acontecimento de agora. Agora, hoje, a ressurreição de Jesus acontece para todos quantos vivem a fé no Ressuscitado. Acontece também para ti, seja qual for a situação em que te encontras. Procura deixar-te tocar por este mistério de libertação, vida nova, frescura de todos os começos. Dando graças a Deus Pai, em união com Jesus ressuscitado, no amor do Espírito Santo... começa assim a tua oração.