Quinta-feira, quarto dia do Tempo do Natal

Quinta-feira, quarto dia do Tempo do Natal

Hoje é dia vinte de dezembro, quinta-feira, quarto dia da novena do Natal.

“Vinde libertar os que vivem no cativeiro das trevas e nas sombras da morte”. Por si mesmo, o mundo é um lugar escuro, habitado pelas sombras da morte. Por mais brilhantes que sejam as luzes ou deslumbrantes as festas e animadas as músicas, as trevas nunca estão longe. Só Deus pode derrotar este inimigo antigo e implacável. E os seus fiéis gritam por libertação.
No quarto dia da novena do Natal, faz-se ouvir uma promessa: vai nascer uma criança, que será Deus-connosco. Prepara-te para escutar... e começa assim a tua oração.

Quarta-feira, terceiro dia do Tempo do Natal

Quarta-feira, terceiro dia do Tempo do Natal

Hoje é dia dezanove de dezembro, quarta-feira, terceiro dia da novena do Natal.

“Vinde libertar-nos, não tardeis mais”. É o grito que se eleva do coração do povo fiel, saturado de injustiças e desgraças. Um grito que não admite dúvidas, pois o Senhor cumprirá as suas promessas. Mas também um grito de quem atingiu o limite, bebeu o cálice até ao fim e, agora, deixa tudo nas mãos de Deus.
Neste terceiro dia da novena do Natal, acompanha a meditação de Dom Nuno Almeida, ao encontro de João Batista, que não é a Luz, mas anuncia o Sol nascente... e começa assim a tua oração.

Terça-feira, segundo dia do Tempo do Natal

Terça-feira, segundo dia do Tempo do Natal

Hoje é dia dezoito de dezembro, terça-feira, segundo dia da novena do Natal.

“Vinde resgatar-nos com o poder do vosso braço”. É um apelo ao Senhor, poderoso em obras e palavras, um apelo de quem experimenta a impotência diante do mal, diante de tudo aquilo que destrói a vida ou, pelo menos, a torna insuportável.
Neste segundo dia da novena de Natal, guiado pelas palavras de Dom Nuno Almeida, bispo auxiliar de Braga, deixa-te tocar pelo assombro do que está para acontecer... e começa assim a tua oração.

Segunda-feira, primeiro dia do Tempo do Natal

Segunda-feira, primeiro dia do Tempo do Natal

Hoje é dia 17 de dezembro, segunda-feira, primeiro dia da novena do Natal.

Hoje começa a novena de Natal. Nestes dias de preparação próxima para o nascimento do Filho de Deus, vais ser auxiliado na tua oração pelos textos de Dom Nuno Almeida, bispo auxiliar de Braga.
Não estranhes que a proposta de oração, nestes dias, seja diferente do habitual.
Estes dias também são diferentes, únicos na expectativa, de uma beleza suave e terna que não deves deixar passar em claro.
Começamos a novena no dia em que o Papa Francisco celebra oitenta e dois anos de vida. Agradece ao Senhor a vida e o ministério de Francisco na Igreja, como sucessor de Pedro... e começa assim a tua oração.

DOMINGO III DO ADVENTO

DOMINGO III DO ADVENTO

Hoje a Igreja celebra o terceiro domingo do Advento.

Imagina que estás à espera de alguém muito querido
e não consegues deixar de pensar nisso.
A tua oração também pode ser assim:
vais celebrar o nascimento de Jesus e não consegues deixar de pensar nisso.
Pede ao Senhor
a graça de aguardares com alegria a celebração do seu Natal.
A alegria que nasce da fé,
se alimenta da esperança
e dá frutos de caridade.
Com este desejo, deixa-te ficar em paz no coração de Deus...
e começa assim a tua oração.

Sexta-feira da segunda semana do Advento

Sexta-feira da segunda semana do Advento

Hoje é dia catorze de dezembro, sexta-feira, memória litúrgica de São João da Cruz.

Quando à tua volta tudo parece feito para te levar à desconfiança e ao medo,
o Senhor convida-te à confiança.
Ele está contigo, porque te ama.
Abre o teu coração a esta presença de Deus.
Deixa que Ele pacifique o teu interior.
Confia-Lhe os teus medos
e o teu desejo de trabalhar para tornar o mundo melhor...
E começa assim a tua oração.

Quinta-feira da segunda semana do Advento

Quinta-feira da segunda semana do Advento

Hoje é dia treze de dezembro, quinta-feira, memória litúrgica de Santa Luzia.

Começa a tua oração com um ato de humildade.
Diz ao Senhor o quanto precisas d’Ele,
como desejas estar na sua presença
e experimentar a paz que só Ele te pode conceder.
Fala-Lhe da tua inclinação para o mal
e diz-Lhe que sem Ele nem sequer és capaz de rezar...
Deixa-te ficar nesta atitude de quem tudo espera de Deus...
e acolhe com gratidão o que o Senhor te quiser conceder.

Quarta-feira da segunda semana do Advento

Quarta-feira da segunda semana do Advento

Hoje é dia doze de dezembro, quarta-feira da segunda semana do Advento.

Bendizer o Senhor é próprio de um coração agradecido.
Procura em ti,
na tua vida,
nos que te rodeiam
motivos para bendizer o Senhor.
E abre-te à sua bênção,
ao amor que Ele te oferece em cada momento,
e à paz que só Ele te pode dar.
“Bendito o Senhor, Deus de Israel”.
Permanece nesta atitude de louvor
e deixa que seja ela a guiar-te nestes momentos de oração.

Segunda-feira da segunda semana do Advento

Segunda-feira da segunda semana do Advento

Hoje é dia dez de dezembro, segunda-feira da segunda semana do Advento.

Começa a tua oração louvando a Deus,
criador e senhor de todas as coisas.
É uma atitude de justiça para com a imensa obra de Deus
e de gratidão por toda a sua bondade.
Se as circunstâncias da tua vida, hoje, não te permitem este canto de louvor,
deixa-te ficar em silêncio,
O Senhor virá certamente em teu auxílio
e há de libertar-te.
Então poderás louvá-Lo e agradecer-Lhe todos os seus dons.

DOMINGO II DO ADVENTO

DOMINGO II DO ADVENTO

Hoje a Igreja celebra o segundo domingo do advento.

O Advento é o tempo da espera e da esperança:
e sem esperança,
a humanidade morre de medo, frio e desespero.
O Advento é o tempo da fidelidade:
e sem fidelidade,
a Igreja atraiçoa-se e atraiçoa o seu Senhor.
O Advento é o tempo da alegria:
e sem alegria,
tu perdes o sentido da vida e o desejo de viver.
Pede ao Senhor a graça
da esperança, da fidelidade e da alegria...
e começa assim a tua oração.

Sexta-feira da primeira semana do Advento

Sexta-feira da primeira semana do Advento

Hoje é dia sete de dezembro, sexta-feira, memória litúrgica de Santo Ambrósio, bispo e doutor da Igreja.

Recorda a semana que passou
e interroga-te sobre os lugares por onde andou o teu coração.
Interroga-te também sobre a tua oração
e sobre o modo como te ajudou ou não
a escolheres os lugares por onde andou o teu coração.
Entrega ao Senhor o que descobrires
e deixa crescer em ti o desejo da presença de Deus.
Começa assim a tua oração.