Décimo nono domingo do tempo comum

Hoje a Igreja celebra o décimo nono domingo do tempo comum.

A oração é o caminho normal para crescer na intimidade com Deus Trindade, para ir dialogando com cada uma das pessoas divinas e, sobretudo, para escutar os seus apelos. O domingo é um dia particularmente propício para este encontro com Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo. Se tiveres oportunidade, procura dar um pouco mais de tempo à tua oração, neste domingo. Deixa o teu coração livre para escutar e acolher o que o Senhor te quer dizer... e assim disponível, começa a tua oração.

Vais ouvir o salmo trinta e dois. É um hino de louvor e confiança de quem pratica a justiça diante de Deus. [Sl 32 (33), 1.12.18-19.20.22] Justos, aclamai o Senhor, os corações retos devem louvá-Lo. Feliz a nação que tem o Senhor por seu Deus, o povo que Ele escolheu para sua herança. Os olhos do Senhor estão voltados para os que O temem, para os que esperam na sua bondade, para libertar da morte as suas almas e os alimentar no tempo da fome. A nossa alma espera o Senhor, Ele é o nosso amparo e protetor. Venha sobre nós a vossa bondade, porque em Vós esperamos, Senhor.

Encontramos neste poema um forte apelo à alegria e à confiança em Deus. Quem vive uma vida reta sabe que Deus toma conta de si e vem em seu auxílio nas adversidades. – Justos, aclamai o Senhor, os corações retos devem louvá-Lo. – Os olhos do Senhor estão voltados para os que esperam na sua bondade. – A nossa alma espera o Senhor, Ele é o nosso amparo e protetor.

O salmista insiste na atitude de espera: é necessário esperar no Senhor e na sua bondade. Neste domingo, as leituras da Missa seguem a mesma linha e falam do administrador fiel e prudente que vigia com sabedoria. Esperar requer paciência; vigiar requer atenção e perseverança. Como te exercitas na paciência e na vigilância?

Esperar em Deus significa confiar n’Ele como amparo e protetor. Escuta novamente o salmo e pensa como Deus pode ser a tua proteção e segurança nos momentos de dificuldade.

O salmo de hoje põe o acento na bondade de Deus. Esta bondade vive-se de forma especial no sacramento da Reconciliação. Há quanto tempo não te confessas? Termina a oração pensando nas dimensões da tua vida que precisam de ser tocadas pela bondade do Senhor.

Pai nosso que estais nos céus santificado seja o vosso nome venha a nós o vosso Reino seja feita a vossa vontade assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação mas livrai-nos do mal.