Décimo quarto domingo do tempo comum

Hoje a Igreja celebra o décimo quarto domingo do tempo comum.

Hoje, começa a tua oração com uma pergunta: 
“O que procuras, na oração?” 
Gasta alguns momentos a tentar responder... 
Depois, muda a pergunta: 
“A quem procuras, na oração? A ti e às tuas coisas ou a Deus e às coisas de Deus?”
Deixas estas perguntas inquietarem-te... E começa assim a tua oração. 

 

O Salmista convida-te a adorar e a aclamar o Senhor.  
 
Sl 65 (66), 1-3a.4-7a.16.20
Aclamai a Deus, terra inteira,
cantai a glória do seu nome,
celebrai os seus louvores, dizei a Deus: 
«Maravilhosas são as vossas obras».

A terra inteira Vos adore e celebre, 
entoe hinos ao vosso nome.
Vinde contemplar as obras de Deus, 
admirável na sua ação pelos homens.

Mudou o mar em terra  firme, 
atravessaram o rio a pé enxuto. 
Alegremo-nos n’Ele:
domina eternamente com o seu poder.

Todos os que temeis a Deus, vinde e ouvi,
vou narrar-vos quanto Ele fez por mim.
Bendito seja Deus que não rejeitou a minha prece, 
nem me retirou a sua misericórdia.

 

Pontos de oração

Faz tuas as palavras do Salmista e repete no teu coração:
“Aclamai a Deus terra inteira, aclamai a glória do seu nome”.

O Salmo faz-te cair na conta que as obras do Senhor são maravilhosas e que toda a terra deve aclamá-Lo. O domingo, dia do Senhor, é ocasião providencial para O louvar, aclamar, bendizer. Que não cesse nunca a tua adoração, o teu louvor. Unido à criação inteira, canta as maravilhas do Senhor.

Ao ouvir novamente o salmo, deixa ecoar a sabedoria da Palavra dentro de ti e alegra-te por poderes aclamar o Senhor.

Neste dia, Domingo, dia de festa e de Páscoa, vai repetindo sem cessar: “a terra inteira louve e aclame o Senhor”. Vai dizendo no mais profundo de ti: “maravilhosas são as suas obras”. Vai tentando descobrir as maravilhas de Deus. 

 

Oração final

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.