Décimo quinto Domingo do Tempo Comum

Hoje, a Igreja celebra o décimo quinto Domingo do Tempo Comum. 

As realidades mais importantes da nossa vida
expressam-se em acontecimentos frágeis, 
lentos e progressivos
como uma semente lançada à terra.
Prepara a seara da tua vida
com a paciência, a confiança e o silêncio
que permitem a emergência
de uma Palavra de esperança.
Começa assim a tua oração.

 

Os ciclos da Natureza são um espelho do cuidado do Senhor pela sua Criação. Une-te ao salmista neste louvor, e agradece todos os dons presentes na tua vida.

[Salmo 64(65), 10-14]
Visitastes a terra e a regastes,
enchendo-a de fertilidade.
As fontes do céu transbordam em água,
e fazeis brotar o trigo.
 
Assim preparais a terra;
regais os seus sulcos e aplanais as leivas,
Vós a inundais de chuva
e abençoais as sementes.
 
Coroastes o ano com os vossos benefícios,
por onde passastes brotou a abundância.
Vicejam as pastagens do deserto,
e os outeiros vestem-se de festa.
 
Os prados cobrem-se de rebanhos,
e os vales enchem-se de trigo.
Tudo canta e grita de alegria. 

 

Pontos de oração

Deixa ecoar dentro de ti estas palavras: 
• «Visitastes a terra e a regastes»;
• «enchendo-a de fertilidade».

Neste dia de verão, aproveita para contemplar a natureza e dar graças a Deus pelo que vês: a terra fértil e regada, a abundância de Deus em tudo o que vês, a paisagem “vestida de festa”.

Reza de novo com o Salmo 64, reparando nos verbos que o salmista usa para expressar as ações de Deus: visitar, regar, encher, fazer brotar, preparar a terra, abençoar…

Contempla agora a ação de Deus em ti: também tu recebes a visita de Deus. Também em ti brota a vida. Reconhece e agradece. Neste Domingo, veste-te interiormente de festa!

 

Oração final

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.