Décimo quinto domingo do tempo comum

Hoje a Igreja celebra o décimo quinto domingo do tempo comum.

Cada domingo traz consigo a memória da Páscoa do Senhor. Não apenas como recordação, mas como atualização, presença real, acontecimento de agora. Agora, hoje, a ressurreição de Jesus acontece para todos quantos vivem a fé no Ressuscitado. Acontece também para ti, seja qual for a situação em que te encontras. Procura deixar-te tocar por este mistério de libertação, vida nova, frescura de todos os começos. Dando graças a Deus Pai, em união com Jesus ressuscitado, no amor do Espírito Santo... começa assim a tua oração.

O salmista dirige os seus pedidos ao Senhor, na certeza de que serão escutados e atendidos. Pede ao Senhor que te alcance a graça da fé e da confiança que motivou a oração que vais escutar. [Sl 68 (69), 14.17.30-31.33-34.36ab.37] A Vós, Senhor, elevo a minha súplica, pela vossa imensa bondade respondei-me. Ouvi-me, Senhor, pela bondade da vossa graça, voltai-Vos para mim pela vossa grande misericórdia. Eu sou pobre e miserável: defendei-me com a vossa proteção. Louvarei com cânticos o nome de Deus e em ação de graças O glorificarei. Vós, humildes, olhai e alegrai-vos, buscai o Senhor e o vosso coração se reanimará. O Senhor ouve os pobres e não despreza os cativos. Deus protegerá Sião, reconstruirá as cidades de Judá. Os seus servos a receberão em herança, e nela hão de morar os que amam o seu nome.

Por vezes, faltam-te palavras para te dirigires ao Senhor, porque todas aquelas que encontras dentro de ti acabam por não expressar, com justiça, o que desejas... Não te preocupes, porque é mesmo assim e o Senhor conhece o teu coração melhor que ninguém. Acolhe, como um dom, as palavras de oração que hoje a Igreja te propõe: «A vós, Senhor, elevo a minha súplica, Pela vossa imensa bondade respondei-me». «Vós, humildes, olhai e alegrai-vos buscai o Senhor e o vosso coração se reanimará».

O Senhor está sempre contigo. Escuta-te, vê-te, sente contigo e conhece contigo. Reconhece o teu esforço e entrega. E aceita-te nas tuas incapacidades e fragilidades. Não há visibilidade mais preciosa e verdadeira que esta, porque é por ela que és salvo. Será que és consciente disto? Será que lhe dás o devido valor e importância? Ou continuas à espera e em busca do reconhecimento e louvor do mundo?

«Procurai o Senhor e encontrareis a vida». Reza com o salmista.

Termina a tua oração com esta certeza: o importante é não deixar de rezar. Que esta certeza possa ser o alimento da tua determinação e fidelidade nos próximos dias. A relação é feita de presença, uma presença marcada pelo tempo que vives, seja ele qual for. E não esqueças, pede ao Senhor esta graça, porque a oração não é uma conquista, mas sempre um dom que o Senhor oferece àqueles que O procuram.

Pai nosso que estais nos céus santificado seja o vosso nome venha a nós o vosso Reino seja feita a vossa vontade assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação mas livrai-nos do mal.