Décimo segundo Domingo do Tempo Comum

Hoje, a Igreja celebra o décimo segundo Domingo do Tempo Comum. 

«Não temas». 
Talvez não encontres nos Evangelhos
uma expressão que Jesus repita tanto
como esta: «não temas».
Toda a boa notícia do Reino
se pode concentrar neste convite,
nesta confiança, nesta paz: «não temas».
Hoje é domingo, o primeiro dia de uma nova semana:
que ele seja para ti o sinal
de uma nova criação, reconciliada com Deus,
com os irmãos e contigo próprio.
E assim poderás rezar, com os teus lábios e com o teu coração,
o convite de Jesus: «não temas».

 

O salmo de hoje é uma oração de alguém que sofre. Escuta-o, pensando nas tuas próprias dores e nas dores de outras pessoas, tuas conhecidas ou não.

Salmo 68 (69), 8-10.14.17. 33-35
Por Vós tenho suportado afrontas,
cobrindo-se meu rosto de confusão.
Tornei-me um estranho para os meus irmãos,
um desconhecido para a minha família.
Devorou-me o zelo pela vossa casa,
e recaíram sobre mim os insultos contra Vós.

A Vós, Senhor, elevo a minha súplica,
no momento propício, meu Deus.
Pela vossa grande bondade, respondei-me,
em prova da vossa salvação.
Tirai-me do lamaçal, para que não me afunde,
livrai-me dos que me odeiam e do abismo das águas.

Vós, humildes, olhai e alegrai-vos,
buscai o Senhor e o vosso coração se reanimará.
O Senhor ouve os pobres
e não despreza os cativos.
Louvem-No o céu e a terra,
os mares e quanto neles se move. 

 

Pontos de oração

O sofrimento é parte da vida de todos nós. Cada um o sente de modo pessoal e intransmissível, sendo às vezes impossível de exprimir. Algumas passagens do salmo podem ajudar-te a encontrar palavras para exprimir o que sentes:
- «cobriu-se meu rosto de confusão»;
- «tornei-me um estranho para os meus irmãos»;
- «pela vossa grande bondade, respondei-me»;
- «tirai-me do lamaçal, para que não me afunde».

Quando sofremos, sentimo-nos sós, sentimos que não há quem nos compreenda. Apresenta ao Senhor aquilo que se passa no teu coração. Apresenta-Lhe também as dores de tanta gente que sofre, faz de intérprete de quem vive momentos de confusão e angústia. Deixa que Ele, ao menos, possa acompanhar os seus filhos que sofrem. 

Quando falamos a Deus das nossas dores temos sempre a esperança de que Ele nos ajude. É essa esperança que o salmo transmite. Ouve-o de novo e procura viver, também tu, a esperança de que o Senhor te oiça e te dê a sua mão.

Deus trata com amor os que Lhe pedem ajuda, como um Pai consola o seu filho. No final desta oração, pede a Deus que esteja junto de quem sofre. Agradece-Lhe tudo o que tem feito por ti, ainda que te possa parecer que poderia fazer mais.

 

Colóquio final

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.