Décimo sexto domingo do tempo comum

Hoje a Igreja celebra o décimo sexto domingo do tempo comum.

O domingo convida a um tempo mais demorado com Deus. Muitos de nós já não sabemos o que isso é, ocupados com tantos ou mais afazeres do que durante os dias da semana. E há também os que devem trabalhar para que outros possam descansar, divertir-se ou ser cuidados, na doença ou na velhice. Isso, porém, não deve ser motivo para descuidar a relação com Deus e o encontro com Jesus e os irmãos, na Eucaristia. Que estes minutos com Deus marquem o teu desejo de não esquecer o sentido humano e cristão do domingo. Procura sentir profundamente este desejo... e começa assim a tua oração.

O salmista fala-te do homem justo que caminha para o Senhor. [Sl 14 (15), 2-3a.3cd-4ab.5] O que vive sem mancha e pratica a justiça e diz a verdade que tem no seu coração e guarda a sua língua da calúnia. O que não faz mal ao seu próximo, nem ultraja o seu semelhante, o que tem por desprezível o ímpio, mas estima os que temem o Senhor. O que não falta ao juramento mesmo em seu prejuízo e não empresta dinheiro com usura, nem aceita presentes para condenar o inocente. Quem assim proceder jamais será abalado.

Recorda o que ouviste ao salmista e interroga-te: será esta a medida do amor de caridade, que oferece ao outro não apenas o que é dele por direito, mas também o que é seu? Aquele que encontra no Senhor a sua morada: «vive sem mancha e pratica a justiça»; «diz a verdade que tem no seu coração»; «não faz mal ao seu próximo».

Dizer a verdade e lutar por ela é estar ao lado de Senhor. Pode trazer-te dificuldades, incompreensões e até desprezos. Pode mesmo trazer sofrimento, tal como aconteceu com Jesus. Mas é por ela que és salvo e não por mentiras, meias verdades ou omissões. Como te situas aqui? Abraças a radicalidade ou procuras meios-termos cómodos? Não é óbvio, nem fácil, por isso escuta o que te diz o Senhor acerca da tua realidade concreta.

Ao escutares de novo o salmo deste domingo, toma consciência de como Jesus veio transformar o modo de seguir o Senhor que aqui encontras descrito. Não o anula, mas leva-o ao seu cumprimento pleno, revelado pela forma como viveu e deu a vida para a tua salvação. Amar não é só cumprir bem, mas agir por excesso, entregando tudo o que se é.

Termina a tua oração pedindo ao Senhor a graça de viveres a semana que agora começa com a certeza de que ninguém te ama como Ele. Procura viver não segundo o teu próprio querer, mas buscando sempre o querer d’Aquele que mais te ama.

Pai nosso que estais nos céus santificado seja o vosso nome venha a nós o vosso Reino seja feita a vossa vontade assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação mas livrai-nos do mal.