Domingo de Páscoa da Ressurreição do Senhor

Hoje a Igreja celebra o Domingo de Páscoa da Ressurreição do Senhor.

Não tomes o anúncio pascal como algo adquirido e evidente. Deixa-te percorrer pela dúvida, pelo temor e pelo espanto diante desta proclamação: «Ressuscitou: não está aqui». É toda a tua vida que está em causa. É toda a tua vida que recebe um nome novo, como Simão, como Saulo.
Hoje é um dia de graça, o dia novo e pleno. Este é o dia que oferece um sentido e um lume novo, uma luz e uma voz renovadas, a tudo o que constitui a tua história. Une o teu canto ao canto de todas as irmãs e irmãos que oferecem a sua vida nos passos do amor. 
As meditações que vais escutar são da autoria do Cardeal norte-americano Seán O'Malley, arcebispo de Boston. Com o auxílio das suas palavras, deixa que no teu coração se abra um caminho pascal, hoje e em todos os dias da tua vida. 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Marcos. [Ev Mc 16, 1-7]

Depois de passar o sábado,
Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé 
compraram aromas para irem embalsamar Jesus. 
E no primeiro dia da semana, partindo muito cedo, 
chegaram ao sepulcro ao nascer do sol. 
Diziam umas às outras: 
«Quem nos irá revolver a pedra da entrada do sepulcro?». 
Mas, olhando, viram que a pedra já fora revolvida; e era muito grande.
Entrando no sepulcro, 
viram um jovem sentado do lado direito, vestido com uma túnica branca, 
e ficaram assustadas. 
Mas ele disse-lhes: 
«Não vos assusteis. Procurais a Jesus de Nazaré, o Crucificado? 
Ressuscitou: não está aqui. Vede o lugar onde O tinham depositado. 
Agora ide dizer aos seus discípulos e a Pedro
que Ele vai adiante de vós para a Galileia. 
Lá O vereis, como vos disse».

«Temos um ditado que diz: "Ver para crer". Mas, para a maioria de nós, é ao contrário: à medida que acreditamos em Cristo ressuscitado, começamos a vê-Lo agindo na nossa vida, ajudando-nos, confortando-nos, guiando-nos. À medida que acreditamos em Cristo ressuscitado, começamos a vê-Lo nos outros. A nossa fé na ressurreição dá-nos o grande conforto de sabermos que nunca estamos sós: Cristo está sempre connosco. A nossa fé no Senhor ressuscitado faz-nos desejar passar tempo com Ele na oração e descobrir quanto Ele nos ama».
[Cardeal Seán O'Malley, Homilia na Vigília Pascal, 2017]

Acreditas verdadeiramente na ressurreição do Senhor e na sua presença na tua vida de todos os dias?

 

«Conhecer a ressurreição de Jesus é começar a compreender que também nós vamos viver para sempre. Isso coloca tudo o resto em perspetiva. À luz da ressurreição, a nossa vida deve mudar. Precisamos de ir além do materialismo e do individualismo da nossa cultura e abraçar a nossa missão de ser testemunhas da vida nova e tornar o reino de Deus mais presente pela forma como nos amamos, perdoamos, servimos uns aos outros, especialmente os pobres e os que sofrem no meio de nós».
[Cardeal Seán O'Malley, Homilia na Vigília Pascal, 2017]

Interroga-te sobre o modo como tens vivido a fé na ressurreição do Senhor Jesus: como uma coisa do passado ou como um acontecimento que te renova todos os dias e te faz sair de ti, ao encontro dos irmãos?

«A ressurreição assegura-nos que há vida para lá da cruz, há sentido no sofrimento, que o amor é mais forte do que a morte. Se a Páscoa é sobre ser surpreendido pela alegria, é também sobre partilhar essa boa nova, essa alegria de que o nosso Redentor está vivo. Maria Madalena correu a dizer a todos que Ele está vivo. Não arrastemos os nossos pés enquanto nos apressamos a partilhar a boa nova: Jesus está vivo, está aqui, chama-nos à amizade, ao discipulado, confia-nos uma missão: fazer a sua vida e o seu amor mais visíveis, mais reais, mais presentes na nossa vida e no nosso mundo».
[Cardeal Seán O'Malley, Homilia na Vigília Pascal, 2017]

Sentes a urgência de anunciar Jesus ressuscitado com a tua vida e com as tuas palavras?

 

Agradece ao Senhor a graça de teres vivido este tríduo pascal, de O teres acompanhado na sua paixão, morte e ressurreição. E pede-Lhe que a alegria da sua ressurreição fique contigo todos os dias da tua vida.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.