Domingo de Ramos na Paixão do Senhor

Hoje a Igreja celebra o Domingo de Ramos na Paixão do Senhor. Começa a Semana Santa, a semana maior da história. Pode parecer uma afirmação pretensiosa, em termos simplesmente humanos. É preciso entendê-la à luz da fé. Jesus, Deus verdadeiro e homem verdadeiro, cumpre nestes dias a esperança da humanidade: morrendo, partilha até ao fim a nossa humanidade; ressuscitando, vence a morte e inaugura um tempo novo, um tempo de relações novas feitas de uma vida que não tem fim. Hoje, Domingo de Ramos, fica atento às forças contrárias que se movem no teu interior: cantas de alegria diante do Senhor... e nega-Lo com o teu pecado. Medita esta dualidade que habita em ti... e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Salmo vinte e um. É um salmo ao princípio lancinante mas que depois se transforma num salmo de louvor. Todos os que me veem escarnecem de mim, estendem os lábios e meneiam a cabeça: «Confiou no Senhor, Ele que o livre, Ele que o salve, se é seu amigo». Matilhas de cães me rodearam, cercou-me um bando de malfeitores. Trespassaram as minhas mãos e os meus pés, posso contar todos os meus ossos. Repartiram entre si as minhas vestes e deitaram sortes sobre a minha túnica. Mas Vós, Senhor, não Vos afasteis de mim, sois a minha força, apressai-Vos a socorrer-me. Hei de falar do vosso nome aos meus irmãos, hei de louvar-Vos no meio da assembleia. Vós que temeis o Senhor, louvai-O, glorificai-O, vós todos os filhos de Jacob, reverenciai-O, vós todos os filhos de Israel.

Pontos de oração

O princípio deste salmo é uma profecia da paixão de Jesus: frases que os fariseus dirão junto à cruz («Confiou no Senhor, Ele que O livre»), as mãos e pés trespassados, a túnica tirada à sorte. Mas acaba com um hino de louvor a Deus: «Hei de louvar-Vos no meio da assembleia.»

Tenta colocar-te no lugar do salmista, que começa por se identificar com o servo sofredor de quem todos escarnecem, dizendo: «Ele que o salve, se é seu amigo». Depois pede a Deus que Se mantenha junto de si: «Vós, Senhor, não Vos afasteis de mim». E, por fim, entoa um cântico de louvor: «Hei de louvar-Vos no meio de toda a assembleia.»

O domingo que hoje celebramos inicia a semana da paixão. Por isso, ao ouvires o salmo de novo, procura centrar-te na profecia da paixão contida no salmo: «Todos os que me veem escarnecem de mim». «Cercou-me um bando de malfeitores». «Trespassaram as minhas mãos e os meus pés». «Repartiram entre si as minhas vestes».

Estamos a começar a semana da paixão. Ela vai ter dois polos: a presença de Cristo entre nós e a paixão. O salmo fala da paixão e da presença do Senhor. Lembras-te das suas ideias, dum modo geral? Medita-as, como introdução à semana que hoje começa.

Pai nosso que estais nos céus santificado seja o vosso nome venha a nós o vosso Reino seja feita a vossa vontade assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação mas livrai-nos do mal.