Festa litúrgica de Santo António de Lisboa

Hoje é dia treze de junho, quinta-feira, festa litúrgica de Santo António de Lisboa.

De Santo António ficaram sobretudo as tradições que a devoção popular lhe associou. Mas estas tradições quase sempre esquecem o essencial: o seu amor a Cristo e o seu desejo de O dar a conhecer entre os não crentes e àqueles que deturpavam o seu Evangelho. Hoje encontras muitas situações semelhantes àquelas do tempo de Santo António, situações às quais também és chamado a levar a luz do Evangelho. Pede ao Senhor coragem para o fazer... e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 5, 13-19]

Jesus disse aos seus discípulos: «Vós sois o sal da terra. Mas se ele perder a força, com que há de salgar-se? Não serve para nada, senão para ser lançado fora e pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte; nem se acende uma lâmpada para a colocar debaixo do alqueire, mas sobre o candelabro, onde brilha para todos os que estão em casa. Assim deve brilhar a vossa luz diante dos homens, para que, vendo as vossas boas obras, glorifiquem o vosso Pai que está nos Céus».

A expressão que Jesus usa na leitura de hoje, «sal da terra», é muito significativa. O sal dá sabor e no tempo de Jesus era muito usado também para conservar os alimentos. Em que medida és sal da terra, dás sabor ou conservas a vida das pessoas à tua volta?

O sal que não salga só serve para ser lançado fora e pisado. Há estilos de vida que não trazem nada de bom a ninguém. Certas maneiras de viver devem ser mudadas radicalmente, seja em nós, seja nos outros. Que gesto radical, ainda que pequeno, as palavras de Jesus te desafiam a fazer?

Ao ouvir outra vez as palavras de Jesus, toma consciência de que não basta ao sal existir para que salgue. Para salgar tem de se dissolver. Também a lamparina vai gastando o azeite para dar luz a quem precisa. Reflete e procura aplicar à tua vida.

Jesus fala aos seus discípulos usando o plural. No fim da tua oração, pede a Deus por todos os cristãos, para que, como Santo António e todos os outros santos, façam diferença no mundo. E os homens, vendo as nossas boas obras, poderão glorificar o nosso Pai que está nos Céus.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.