Terça-feira da vigésima segunda semana do Tempo Comum

Hoje é dia cinco de setembro, terça-feira da vigésima segunda semana do Tempo Comum.

Há uma promessa de encontro, a alegria de uma esperança
que alimenta a experiência cristã.
Não se trata apenas de um código ético, 
de uma pertença social
ou de uma abertura religiosa;
habitamos no mistério de Deus,
que nos envolve, em traços maternais e paternais,
em toda a nossa vida.
Hoje, permite-te um espaço de silêncio e encontro
com este mistério que te habita;
e começa assim a tua oração. 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 4, 31-37]

Jesus desceu a Cafarnaum, cidade da Galileia,
e ali ensinava aos sábados.
Todos se maravilhavam com a sua doutrina,
porque falava com autoridade.
Encontrava-se então na sinagoga
um homem que tinha um espírito de demónio impuro,
que bradou com voz forte:
«Ah! Que tens que ver connosco, Jesus de Nazaré?
Vieste para nos destruir?
Eu sei quem Tu és: o Santo de Deus».
Disse-lhe Jesus em tom severo:
«Cala-te e sai desse homem».
O demónio, depois de o ter arremessado para o meio dos presentes,
saiu dele sem lhe fazer mal nenhum.
Todos se encheram de assombro e diziam entre si:
«Que palavra esta!
Ordena com autoridade e poder aos espíritos impuros
e eles saem!».
E a fama de Jesus espalhava-se por todos os lugares da região. 

 

Pontos de oração

Gestos e palavras que coincidem: assim se manifesta em Jesus o reino de Deus. E assim também se pode tornar presente na tua vida, na rua, no trabalho, na família. 
Que as tuas palavras e gestos sejam expressão do amor com que Deus te toca em cada oração. 

Admirar Jesus não é ainda segui-Lo nem dispor-se a passar por onde Ele passou. Experimenta o desejo de não ficares pela admiração. Dispõe-te a segui-Lo. 

Ao ouvires de novo o Evangelho, repara na firmeza de Jesus. Deixa que a sua clareza e determinação inspirem o teu agir de todos os dias. 

 

Colóquio final

Pede a Deus a graça de te deixares sempre espantar pela sua presença na tua vida.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.