Terça-feira da terceira semana do Tempo Pascal

Hoje é dia dezassete de abril, terça-feira da terceira semana do Tempo Pascal.

«Fazei brilhar sobre mim a vossa face,
salvai-me pela vossa bondade.
Como é grande, Senhor, a vossa bondade».
Nestas palavras do salmo trinta
reside o centro e o segredo
de uma vida de oração:
a busca do rosto de Deus, belo e misterioso,
a descoberta e o louvor da sua bondade,
a súplica e o desejo de salvação.
Coloca a tua oração nos trilhos deste desejo
e permite que ela te conduza no espaço e no tempo
da tua vida.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 6, 30-35].

Disse a multidão a Jesus:
«Que milagres fazes Tu,
para que nós vejamos e acreditemos em Ti?
Que obra realizas?
No deserto os nossos pais comeram o maná,
conforme está escrito:
‘Deu-lhes a comer um pão que veio do céu’».
Jesus respondeu-lhes:
«Em verdade, em verdade vos digo:
Não foi Moisés que vos deu o pão que vem do Céu;
meu Pai é que vos dá o verdadeiro pão que vem do Céu.
O pão de Deus é o que desce do Céu
para dar a vida ao mundo».
Disseram-Lhe eles:
«Senhor, dá-nos sempre desse pão».
Jesus respondeu-lhes:
«Eu sou o pão da vida:
quem vem a Mim nunca mais terá fome,
quem acredita em Mim nunca mais terá sede». 

 

Fixa-te no mistério amoroso de um Deus que se quer aproximar, que vem até ti e te alimenta... e se faz abundância... e se faz pão. Imagina Deus a querer estar contigo e deixa-te levar nessa presença. 

Pensa na abundância concreta que te rodeia, nas multiplicações espantosas a que assistes, de pão e não só. Pensa na partilha, que multiplica. Na partilha de que és beneficiado, como recetor e como dador... Dá graças a Deus por isso. 

Escuta de novo o texto e reflete criticamente sobre o espaço concreto de multiplicação de pão que é a eucaristia. Como vives a eucaristia na sua dimensão de partilha com outros (de pão, de vida e de Cristo)? Que zonas de ti vivem ainda a eucaristia num reduto excessivamente individualista e autocentrado? Que valor e significado dás ao facto de que aquele pão, aquele dom, não é só para ti? 

Na esperança de teres intensificado a consciência de um Deus presente na tua vida, pondera os encontros que vais ter nos próximos tempos; deseja-os e imagina-os como partilhas abundantes de alimento amoroso. 

 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.