Memória litúrgica de São Luís Gonzaga

Hoje é dia vinte e um de junho, terça-feira, memória litúrgica de São Luís Gonzaga.  

Diante das opções da vida, vale a pena parar e pensar: «de que serve isto para a eternidade?». Foi isto que fez São Luiz Gonzaga na sua vida. Antes de cada decisão, ele pensava se esta seria um passo em direção ao amor ou ao egoísmo. E então decidia. 
Aproveita estes momentos de oração para pedires ao Senhor que te ilumine nas escolhas do teu dia a dia. Assim, com o coração centrado no bem, vale a pena começares a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 7, 6.12-14]

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Não deis aos cães o que é santo,
nem lanceis aos porcos as vossas pérolas,
não vão eles calcá-las aos pés
e voltar-se para vos despedaçarem.
Tudo quanto quiserdes que os homens vos façam
fazei-o também a eles,
pois nisto consiste a Lei e os Profetas.
Entrai pela porta estreita,
porque larga é a porta e espaçoso o caminho
que leva à perdição
e muitos são os que seguem por eles.
Como é estreita a porta e apertado o caminho que conduz à vida
e como são poucos aqueles que os encontram!» 

 

Pontos de oração

«Faz ao outro o que gostarias que te fizessem a ti». 
Foi o que fez São Luís Gonzaga quando saiu para as ruas de Roma a socorrer pessoas, durante uma epidemia. É também o que o Senhor te convida a fazer, hoje: a dar de ti, em tua casa, na rua, no trabalho, com os amigos...

«Coloco hoje, diante de ti, a vida e o bem, a morte e o mal», já dizia o Senhor no Livro do Deuteronómio. Jesus retoma o tema dos dois caminhos para avisar que, na porta do Céu, não cabe tudo, há renúncias a fazer. Por cada ‘sim’, há tantos ‘nãos’ que terás de dizer.

Vais ouvir de novo o Evangelho. Recebe-o: é o Senhor a falar-te pessoalmente. Repara naquilo que fica a ressoar dentro de ti. O que te impele? O que te repele?

 

Colóquio final

Pergunta-te que conselho precisarias de ouvir do Senhor neste momento e deixa que isso venha à consciência para poderes tirar as consequências. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.