Memória litúrgica do anjo da guarda de Portugal

Hoje é dia dez de junho, sexta-feira, memória litúrgica do anjo da guarda de Portugal.

Os Anjos são aqueles que têm por missão levar Deus aos outros. São mensageiros do Amor do Pai. Através deles, Deus é visível para os que estão à sua volta. 
Também tu, na tua vida, recebes a missão de ser mensageiro de Deus para os outros, de ser manifestação de Deus para aqueles que estão à tua volta. Pede ao Senhor que a tua vida seja sinal da presença de Deus para aqueles que te são mais próximos. Assim, vale a pena começares a tua oração.

  

Escuta este salmo que te convida à confiança em Deus. [Sal 90 (91), 1.3.5-6.10-11.14-15]

Tu, que habitas sob a proteção do Altíssimo,
moras à sombra do Omnipotente.
Ele te livrará do laço do caçador
e do flagelo maligno. 

Não temerás o pavor da noite,
nem a seta que voa de dia;
nem a epidemia que se propaga nas trevas,
nem a peste que alastra em pleno dia. 

Nenhum mal te acontecerá,
nem a desgraça se aproximará da tua morada.
Porque o Senhor mandará aos seus Anjos
que te guardem em todos os teus caminhos. 

«Porque confiou em Mim, hei de salvá-lo; 
hei de protegê-lo, pois conheceu o meu nome. 
Quando Me invocar, hei de atendê-lo,
estarei com ele na tribulação, hei de libertá-lo e dar-lhe glória».

 

Pontos de oração

Cai na conta de quantas decisões tomas confiando nos outros. Sem a confiança, a vida seria insuportável. Atrás de todas as instituições estão pessoas e é nelas em quem confias. Confias que sejam competentes e responsáveis, que sejam fiéis aos seus compromissos. 

O salmo que escutaste é um apelo à confiança em Deus, de modo a poder olhar com esperança para o futuro. O salmista diz «não temerás». Se tens algum medo que te impeça de agir seguindo o teu coração e a tua consciência, confia-o ao Senhor e pede-Lhe força para avançar. 

O salmista diz que Deus estará na tribulação com quem O invoca. Muitas pessoas se sentem abandonadas por Ele nas suas tribulações. Considera como a atitude pode mudar tudo, e como se pode viver as dificuldades com paz, abrindo-se à presença de Deus, em vez de Lhe fazer exigências. 

 

Colóquio final

Toma consciência de que moras à sombra do Omnipotente. Invoca-O como uma criança chama pelo pai. Sendo hoje dia de Portugal, confia-te e confia Portugal e os portugueses à proteção do Senhor. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.