Nono Domingo do Tempo Comum

Hoje, a Igreja celebra o nono Domingo do Tempo Comum. 

O livro do Génesis apresenta-nos um projeto, 
o sonho de uma Criação a caminho da plenitude,
do sétimo dia do descanso divino.
E o sábado apresenta-se, na história de Israel,
como um tempo de respiro e de liberdade
no seio das tarefas e dificuldades do quotidiano.
Hoje é domingo, o primeiro dia da semana:
que este dia seja para ti, no contexto da nova Aliança,
o sinal da liberdade e da vida em plenitude.

 

Neste salmo de louvor, o salmista aclama a Deus pela forma como nos liberta daquilo que nos pesa e escraviza. 

[Salmo 80 (81), 3-4.5-6ab.6c-8a.10-11b]
Aclamai a Deus, nossa força,
aplaudi ao Deus de Jacob.
Fazei ressoar a trombeta na lua nova
e na lua cheia, dia da nossa festa.

É uma obrigação para Israel,
é um preceito do Deus de Jacob,
lei que Ele impôs a José,
quando saiu da terra do Egipto.

Ouço uma língua desconhecida:
«Aliviei os teus ombros do fardo
e soltei as tuas mãos dos cestos;
gritaste na angústia e Eu te libertei.

Não terás contigo um deus alheio,
nem adorarás divindades estranhas.
Eu, o Senhor, sou o teu Deus,
que te fiz sair da terra do Egipto». 

 

Repete no teu interior as palavras que o Senhor, teu Deus, te diz neste Salmo:
• «Aliviei os teus ombros do fardo e soltei as tuas mãos dos cestos; gritaste na angústia e Eu te libertei».
• «Não terás contigo um deus alheio, nem adorarás divindades estranhas».
• «Eu, o Senhor, sou o teu Deus, que te fiz sair da terra do Egipto». 

Dá-te conta do que pode representar, na tua vida, a terra do Egipto, a terra da escravatura. 
O que te tira liberdade? O que te angustia? O que te pesa? 

Ouve de novo o salmo e deixa-te levar pelo salmista nesta oração de ação de graças em que aclama e aplaude a Deus. Entra nesta festa de quem se sente libertado por Ele!

 

Olha para trás, faz memória agradecida. Agradece a Deus tudo o que fez por ti, até ao dia de hoje. Pede-Lhe que continue a dar-te a verdadeira liberdade. 

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.