Quarta-feira da décima quarta semana do tempo comum

Hoje é dia seis de julho, quarta-feira da décima quarta semana do tempo comum. 

Alguns dizem que a oração pode tudo. 
É uma afirmação que tem as suas raízes no Evangelho
– mas que não deve ser mal entendida. 
Outros dizem que a oração não pode nada. 
É uma afirmação enraizada na falta de fé 
que dificilmente abandona o nosso coração. 
Pede ao Senhor que aumente a tua fé... e começa assim a tua oração. 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 10, 1-7]

Jesus chamou a Si os seus Doze discípulos
e deu-lhes poder de expulsar os espíritos impuros
e de curar todas as doenças e enfermidades.
São estes os nomes dos doze apóstolos:
primeiro, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão; 
Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão;
Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano;
Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu;
Simão, o Cananeu,
e Judas Iscariotes, que foi quem O entregou.
Jesus enviou estes Doze, dando-lhes as seguintes instruções: 
«Não sigais o caminho dos gentios,
nem entreis em cidade de samaritanos.
Ide primeiramente às ovelhas perdidas da casa de Israel. 
Pelo caminho, proclamai que está perto o reino dos Céus».

 

Pontos de oração

A escolha dos Doze Apóstolos e o seu envio em missão, com poder para realizar o que Jesus deseja, não é um texto do passado. Hoje, cada consagrado, cada batizado, sacerdote ou leigo, é chamado por Jesus para ser enviado às periferias onde não há fé, não há pão, não há amor, não há paz, não há Deus nos corações, nas famílias. 
Tu também és chamado e enviado. Como assumes esta missão? Como a realizas na vida quotidiana?

Um cristão, uma cristã que não é apóstolo destemido e audaz, está a renegar a sua fé, é apóstata. Pertences a esse número? Ou vives com paixão e encanto a missão que Jesus te concedeu desde o teu batismo? Preocupas-te em anunciá-Lo? Ou vives instalado, com vergonha ou com medo da missão?

Ouve com o teu coração, mais que com os teus ouvidos, a repetição da leitura do Evangelho de hoje. 

 

Colóquio final

Pede a Jesus, com audácia e esperança, que te dê um coração apaixonado por Ele e com o desejo de O anunciar.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.