Quarta-feira da nona semana do tempo comum

Hoje é dia um de junho, quarta-feira da nona semana do tempo comum. 

Agora que começas a tua oração olha bem à tua volta. Não importa se estás parado no trânsito ou na intimidade do teu quarto. Abre os olhos e vê o mundo à tua volta. 
Rezar é uma declaração de amor Àquele que é a origem de toda a vida.
Diz São Paulo que nós e toda a criação sofremos as dores de parto, aguardando a adoção filial. Na intimidade da tua oração reconheces que tudo te é dado para que o teu mundo seja cada vez mais a casa de Deus. Ao rezares, recebes o convite para cuidar da nossa casa comum, dom do Pai a todos os seus filhos.
Assim, consciente que a oração está ligada à vida, vale a pena começares a tua oração.   

 

 

Escuta esta passagem da segunda carta de São Paulo a Timóteo. [L 1 2 Tim 1,1-3.6-12] 

Paulo, apóstolo de Jesus Cristo por vontade de Deus,
para anunciar a promessa da vida que está em Cristo Jesus,
a Timóteo, meu filho caríssimo:
a graça, a misericórdia e a paz
da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, Nosso Senhor.
Dou graças a Deus,
a quem sirvo com pura consciência,
a exemplo dos meus antepassados,
quando, noite e dia, sem cessar,
me recordo de ti nas minhas orações.
Por isso te exorto a que reanimes o dom de Deus
que recebeste pela imposição das minhas mãos.
Deus não nos deu um espírito de timidez,
mas de fortaleza, de caridade e moderação.
Não te envergonhes de dar testemunho de Nosso Senhor,
nem te envergonhes de mim, seu prisioneiro;
mas sofre comigo pelo Evangelho,
confiando no poder de Deus.
Ele salvou-nos e chamou-nos à santidade,
não em virtude das nossas obras,
mas do seu próprio desígnio e da sua graça.
desde toda a eternidade,
manifestou-se agora
pelo aparecimento de Cristo Jesus, nosso Salvador,
que destruiu a morte e fez brilhar a vida e a imortalidade,
por meio do Evangelho,
do qual eu fui constituído pregador, apóstolo e mestre.
É por esse motivo que eu suporto os sofrimentos,
mas não me envergonho;
porque sei em quem pus a minha confiança
e estou certo de que Deus tem poder
para guardar a missão que me foi confiada até ao último dia.

 

Pontos de oração

S. Paulo diz ser apóstolo de Jesus Cristo por vontade de Deus. Na saudação inicial que faz ao amigo Timóteo, dá graças porque a sua missão é iniciativa divina. 
O chamamento ao seguimento de Jesus é um convite universal e pessoal. É para todos e também para ti. A que te chama Jesus neste momento?

«Não te envergonhes de dar testemunho de Nosso Senhor, que nos salvou e chamou à santidade», diz S. Paulo. 
Já sentiste vergonha por seres identificado como cristão? Nem sempre é fácil dizer que se vai à missa e se reza frequentemente, mas as tuas obras mostram aquilo que és.

A renovação da vida espiritual faz-se através da oração e de uma vida de serviço junto de quem mais precisa. 
Ao ouvires novamente a Epístola de S. Paulo, pensa como a Eucaristia e o Sacramento da Reconciliação te podem ajudar a afinar a tua vida cristã.

 

Colóquio final

Nas dificuldades da vida, S. Paulo diz ter posto a sua confiança no poder de Deus. 
Conclui a tua oração pensando como Deus também te guia e protege quando confias mais no seu amor.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.