Quarta-feira da décima primeira semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte de junho, quarta-feira da décima primeira semana do Tempo Comum.

Hoje, começa a tua oração
escutando este poema de José Tolentino Mendonça:
«Todos os dias abrimos os olhos, mas não o suficiente
Vemos descontentes a imperfeição e a pedra
Olhamos com desgosto – em nós e nos outros –
o avesso e a costura
e não nos damos conta
que poder observar com amor o avesso
se torna preciosa aprendizagem de caminho (...)
Pois aquilo, precisamente aquilo
que hoje identificares como pedra
Deus vem ensinar-te
a transformar em estrela».

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 6, 1-6.16-18]

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Tende cuidado em não praticar as vossas boas obras
diante dos homens, para serdes vistos por eles.
Aliás, não tereis nenhuma recompensa
do vosso Pai que está nos Céus.
Assim, quando deres esmola,
não toques a trombeta diante de ti,
como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas,
para serem louvados pelos homens.
Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa.
Quando deres esmola,
não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita,
para que a tua esmola fique em segredo;
e teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa.
Quando rezardes, não sejais como os hipócritas,
porque eles gostam de orar de pé,
nas sinagogas e nas esquinas das ruas,
para serem vistos pelos homens.
Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa.
Tu, porém, quando rezares,
entra no teu quarto, fecha a porta
e ora a teu Pai em segredo;
e teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa.
Quando jejuardes,
não tomeis um ar sombrio, como os hipócritas,
que desfiguram o rosto, para mostrarem aos homens que jejuam.
Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa.
Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto,
para que os homens não percebam que jejuas,
mas apenas o teu Pai, que está presente no que é oculto;
e teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa».

O Pai vê no segredo: daí a necessidade da humildade e do despojamento, de não rezar
ou fazer boas obras para que os outros vejam, saibam ou elogiem. Que a nossa mão
esquerda não saiba o que faz a direita: este é o modo de Jesus nos ensinar a
simplicidade, o despojamento, a humildade.
Tens cuidado em praticar estes conselhos? Ou vives de um modo vaidoso e triunfalista,
desejando dar nas vistas? Gostas de atrair a atenção sobre ti e sobre o que fazes?

O Pai dará a recompensa. Não a esperes dos homens. Não procures aplausos
mundanos. Não desejes estar na ribalta para receber palmas. Deus olha o coração,
conhece o interior, não olha à aparência.
Sentes que procuras este caminho de simplicidade, de escondimento, de humildade?
Esforças-te por viver na discrição e não atrair as atenções, na certeza de que o Pai te
dará a recompensa?

Ouve com o teu coração, mais que com os teus ouvidos, a leitura do Evangelho de hoje.

Pede a Jesus, com audácia e esperança, que te dê um coração simples e humilde como o
d’Ele.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.