DOMINGO XIV DO TEMPO COMUM

Hoje, a Igreja celebra o décimo quarto domingo do Tempo Comum. 

A oração, como a arte que alimenta a fé,
ensina-nos a abertura dos sentidos e da atenção
para a realidade quotidiana a que pertencemos.
É aí, no quotidiano, que o Divino se nos revela,
e a Ele buscamos reconhecer,
como reconhecemos no Carpinteiro de Nazaré
o Filho de Deus.
Hoje é Domingo, o primeiro dia da semana:
que este dia e esta semana sejam para ti
um tempo de louvor e de esperança,
junto dos teus irmãos.
 

O salmo que hoje vais escutar é um salmo de súplica. Ao ouvi-lo, imagina-te diante de Deus e implora-Lhe o que mais desejas neste momento da tua vida. 

[Salmo 122 (123)]
Levanto os meus olhos para Vós,
para Vós que habitais no Céu,
como os olhos do servo
se fixam nas mãos do seu senhor.

Como os olhos da serva
se fixam nas mãos da sua senhora,
assim os nossos olhos
se voltam para o Senhor nosso Deus,
até que tenha piedade de nós.

Piedade, Senhor, tende piedade de nós,
porque estamos saturados de desprezo.
A nossa alma está saturada do sarcasmo dos arrogantes
e do desprezo dos soberbos. 

Há palavras que se repetem, numa espécie de insistência, e que transmitem um sentimento de urgência. Dá espaço dentro de ti para que algumas expressões ecoem: 
– «levanto os meus olhos»;
– «como os olhos da serva se fixam nas mãos da sua senhora»;
– «os nossos olhos voltam-se para o Senhor nosso Deus».

Pensa no mundo à tua volta. Quem são hoje as pessoas que levantam os olhos, que fixam os olhos nas mãos do Senhor, à espera de um gesto, à espera de compaixão e de misericórdia? Junta-te a essas pessoas e reza pelas suas intenções; levanta também tu os olhos para o Senhor. 

Ouve outra vez o salmo, dando agora atenção ao pedido feito. Pedir piedade é assumir que se está numa situação de fragilidade ou mesmo de rutura. Ao pedir piedade, assumimos a nossa verdade e quebramos a barreira do orgulho e da autossuficiência. Este pode ser o momento de começar uma nova relação. 

Muitas vezes, fazemos pedidos a Deus. Ao longo desta semana, procura reparar no tom dos pedidos que Lhe fazes. Alguma vez sentes necessidade de que o Senhor tenha piedade de ti? 

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.