DOMINGO XV DO TEMPO COMUM

Hoje, a Igreja celebra o décimo quinto domingo do Tempo Comum. 

Os Apóstolos são enviados dois a dois,
alicerçados na confiança e chamados ao testemunho da Graça.
Não se trata de uma vocação especial, reservada a poucos:
todos os discípulos de Jesus, cada um nas suas circunstâncias,
vivem deste dinamismo do Espírito.
Hoje é Domingo, o primeiro dia da semana:
na comunidade dos irmãos, 
escuta o envio a que o Senhor te chama,
na tua vida.

«Deus fala de paz». Assim começa o salmo de hoje. Ouve-o com atenção, procurando pacificar-te, respirando fundo e pausadamente. 

[Salmo 84 (85)]
Deus fala de paz ao seu povo e aos seus fiéis
e a quantos de coração a Ele se convertem.
A sua salvação está perto dos que O temem,
e a sua glória habitará na nossa terra.

Encontraram-se a misericórdia e a fidelidade,
abraçaram-se a paz e a justiça.
A fidelidade vai germinar da terra,
e a justiça descerá do Céu.

O Senhor dará ainda o que é bom,
e a nossa terra produzirá os seus frutos.
A justiça caminhará à sua frente
e a paz seguirá os seus passos. 

Repete para ti as frases que neste salmo mencionam a paz: 
– «Deus fala de paz ao seu povo»;
– «Abraçaram-se a paz e a justiça»;
– «a paz seguirá os seus passos». 

A misericórdia é um requisito para a paz. Traz à tua oração todas as pessoas que ocupam lugares de poder. Pensa que, se nas suas decisões forem misericordiosas, se olharem para quem sofre, o mundo poderá ser diferente. 
E tu, que poder tens nas tuas mãos? Como podes agir com misericórdia? 

Ouve outra vez o salmo. Repara agora que se fala de fidelidade. A fidelidade a alguém, à palavra dada, aos propósitos, à amizade… A fidelidade a Deus… Não será isso fonte de paz? 

Outra palavra que se repete no salmo de hoje é «justiça». Consegues imaginar a paz num mundo injusto? A justiça de Deus não se separa da misericórdia nem da fidelidade. 
Pensa nalguns pequenos gestos de justiça, misericórdia ou fidelidade que possas pôr em prática nesta semana que vai começar. 

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.