DOMINGO XX DO TEMPO COMUM

Hoje a Igreja celebra o vigésimo domingo do tempo comum.

Nestes minutos dedicados ao teu Deus,
deixa o teu coração livre
para a Palavra que se anuncia.
Deus tem uma Palavra para ti,
tu tens, certamente, algumas palavras para Ele.
Aguarda serenamente o que se anuncia,
deixa crescer o teu desejo de Deus
e começa assim a tua oração.

Este é um salmo de confiança que se aprofunda no louvor, como no mar da
bondade divina. O salmista convida a mergulhar na intimidade de Deus e só
depois abrir os olhos, do coração e da mente, à luz da imensidão do Amor.
Experimenta “perder o pé”.

[Salmo 33 (34)]
A toda a hora bendirei o Senhor,
o seu louvor estará sempre na minha boca.
A minha alma gloria-se no Senhor:
escutem e alegrem-se os humildes.
Temei o Senhor, vós os seus fiéis,
porque nada falta aos que O temem.
Os poderosos empobrecem e passam fome,
aos que procuram o Senhor não faltará riqueza alguma.
Vinde, filhos, escutai-me,
vou ensinar-vos o temor do Senhor.
Qual é o homem que ama a vida,
que deseja longos dias de felicidade?
Guarda do mal a tua língua
e da mentira os teus lábios.
Evita o mal e faz o bem,
procura a paz e segue os seus passos.

Pede ao Senhor que te ensine a ser humilde, como Ele. Dessa humildade que
faz bem a quem escuta uma canção de alegria, com a vida oferecida ao serviço
de quem sofre. Que o Senhor abra o teu coração à verdade e à beleza.

Guardar a língua do mal exige muita vigilância. Só a voz do Espírito Santo nos
pode, muitas vezes, alertar. Estamos distraídos pelas coisas.
Podes colocar-te esta pergunta: «as minhas palavras fazem sangrar alguém?»

A felicidade não se compra e não é fácil adquiri-la com os bens deste mundo!
Mas Deus pode oferecer-te de graça a bem-aventurança da pobreza, da
mansidão, da procura da paz. Para viver a alegria do Evangelho, não há férias.

Este momento de oração fez-te sentir o dever de te aproximares dos outros?
Conversa com Jesus sobre esse sentimento e pede-Lhe que te ajude a levá-lo
à prática.

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.