DOMINGO XXIII DO TEMPO COMUM

Hoje, a Igreja celebra o vigésimo terceiro Domingo do Tempo Comum. 

É no afastamento da multidão
que os nossos ouvidos se abrem
e a nossa língua se liberta das prisões que a impedem
de comunicar com sentido.
Os céus abrem-se com o dom do Espírito
e tudo o que Ele faz é admirável
aos olhos de quem espera e confia.
Hoje é Domingo, o primeiro dia da semana:
permite que, no silêncio do teu quarto
e na comunidade dos irmãos,
os teus ouvidos se abram para a escuta da Palavra
e a tua língua se liberte num hino de louvor
e ação de graças.

Que tipo de Rei é o teu Deus? Um Rei Dominador que faz sentir o peso do seu poder? O salmo que vais escutar traça o retrato de um Rei que serve. O tipo de Rei com que sempre sonhaste. 

[Salmo 145 (146)]
O Senhor faz justiça aos oprimidos,
dá pão aos que têm fome
e a liberdade aos cativos.

O Senhor ilumina os olhos dos cegos,
o Senhor levanta os abatidos,
o Senhor ama os justos.

O Senhor protege os peregrinos,
ampara o órfão e a viúva
e entrava o caminho aos pecadores.

O Senhor reina eternamente;
o teu Deus, ó Sião,
é rei por todas as gerações.

Se hoje és tu o oprimido porque a vida te corre mal; o faminto porque há muito que não te alimentas de Deus; o cativo porque os mesmos vícios de sempre não te largam; e o cego, o abatido, o peregrino, o órfão, a viúva... Se tu és essa pessoa, confia-te a Deus, que é rei de bondade. 

O Senhor é Rei «por todas as gerações». Ele tem no coração todas as épocas, todas as geografias, mas também todos os segundos da tua vida e todos os movimentos do teu coração. Aprende a encontrar a calma em Deus, no espaço confortável do silêncio do teu coração. 

O salmo deixa que consideres que o Senhor é «o teu Deus». Um Deus que «é teu». Um Deus que te é dado para dizeres «Ele é o meu Deus», sem que isso seja um abuso ou um exagero, mas apenas a verdade, pura e dura. Saboreia essa notícia tão boa e ouve de novo o salmo. 

O «teu Deus» dedica-Se a cuidar de ti. Criou o mundo por ti. Ligou-Se ao povo eleito por ti. Fez-Se homem por ti. Sorriu como bebé e criança por ti. Sofreu com amor em vez de ti. Ele conta os dias à espera de te ter nos novos céus e nova terra. Para sempre e sem fim. 

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.