DOMINGO XXIV DO TEMPO COMUM

Hoje, a Igreja celebra o vigésimo quarto Domingo do Tempo Comum. 

Celebrando o Dia do Senhor, 
invoca a Santíssima Trindade, 
o Pai, o Filho e o Espírito Santo, 
como guardiões e protetores da tua vida.
Acolhe com alegria o mistério desta Trindade de Amor, 
na qual e pela qual vives para sempre. 
Confia-te ao poder criador do Pai, 
à graça salvadora do Filho, 
à bênção protetora do Espírito Santo. 
Neste movimento único que te leva a vislumbrar o mistério íntimo de Deus, 
dá início à tua oração.

Este salmo 114 é um cântico de louvor e amor agradecido da parte daquele que se sente fraco, mas libertado por Deus das suas angústias. 

[Salmo 114 (116)]
Amo o Senhor,
porque ouviu a voz da minha súplica.
Ele me atendeu,
no dia em que O invoquei.

Apertaram-me os laços da morte,
caíram sobre mim as angústias do além,
vi-me na aflição e na dor.
Então invoquei o Senhor:
«Senhor, salvai a minha alma».

Justo e compassivo é o Senhor,
o nosso Deus é misericordioso.
O Senhor guarda os simples:
estava sem forças e o Senhor salvou-me.

Livrou da morte a minha alma,
das lágrimas os meus olhos, da queda os meus pés.
Andarei na presença do Senhor,
sobre a terra dos vivos. 

Fixa-te nalgumas das expressões de reconhecimento que ouviste e vai-as repetindo sem pressa. Como quem respira. Assim: 
“Amo o Senhor porque me ouviu... 
O Senhor é bom e compassivo... 
Ele vela sobre os fracos!...” 

Agora medita: como te costumas comportar nas horas difíceis, nas falhas e nos momentos de tentação? Como poderás transformar esses momentos em ocasiões de crescimento na humildade e na confiança? Tens a tentação de deixar de rezar ou de cair na revolta?

Escuta de novo este Salmo e toma especial atenção ao final. E como quem se decide a recomeçar, repete: “caminharei na presença do Senhor!” 

Termina o tempo de oração com o propósito de, confiadamente, nas horas más, levantares cabeça e retomares o caminho. Lembra-te: todos caem, mas os que fazem a diferença são aqueles que sempre se levantam. 

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.