Terça-feira da vigésima semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e um de agosto, terça-feira, memória litúrgica do Papa São Pio
Décimo.

Neste momento,
experimentas certamente a alegria de teres encontrado
o teu tempo para Deus.
Pode ser uma rotina
ou pode ser uma novidade,
mas é sempre bom chegar aqui
e dispor-se a deixar-se encontrar por Deus.
Dá graças pelo desejo que te trouxe a este momento...
e começa assim a tua oração.

Jesus disse aos seus discípulos:
«Em verdade vos digo:
Um rico dificilmente entrará no reino dos Céus.
É mais fácil passar um camelo pelo fundo duma agulha
do que um rico entrar no reino de Deus».
Ao ouvirem estas palavras,
os discípulos ficaram muito admirados e disseram:
«Quem poderá então salvar-se?».
Jesus olhou para eles e respondeu:
«Aos homens isso é impossível, mas a Deus tudo é possível».
Então Pedro tomou a palavra e disse-Lhe:
«Nós deixámos tudo para Te seguir.
Que recompensa teremos?».
Jesus respondeu:
«Em verdade vos digo:
No mundo renovado,
quando o Filho do homem vier sentar-Se no seu trono de glória,
também vós que Me seguistes vos sentareis em doze tronos
para julgar as doze tribos de Israel.
E todo aquele que tiver deixado casas,
irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou terras,
por causa do meu nome,
receberá cem vezes mais e terá como herança a vida eterna.
Muitos dos primeiros serão os últimos
e muitos dos últimos serão os primeiros».

O que parece impossível aos homens é possível a Deus. Neste caso, nada
possuir, ou melhor, ir despossuindo-se de tudo. Não se pode amar sem dar-se
totalmente. Para quem ama, tudo é possível. O amor tudo vence.
Acreditas nisto?

É de amor que realmente se trata. Aquele amor que significa caridade, porque
se constrói de graça e não tem fim. Os ricos afogam o amor no túmulo da sua
autossuficiência. Como poderão desinstalar-se e “passar”, sair para fora de si?

Que há de ser “o fundo duma agulha” senão aquela frincha do coração onde
não entra luz? E “o camelo”? A pessoa remoendo os cálculos da fome e da
sede de dinheiro. Jejua desses trambolhos de riqueza, deita fora o luxo
escandaloso e sujo.

O pobre não soma nem multiplica, mas divide e subtrai. As operações
aritméticas servem para ele distribuir aos outros e retirar a si próprio. Acumular
é deixar apodrecer. Não aproveita a ninguém.
A tua vida precisa de limpeza e arrumo?

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.