Quarta-feira da décima sétima semana do Tempo Comum

Hoje é dia um de agosto, quarta-feira, memória litúrgica de Santo Afonso Maria de Ligório.

Em pleno século XVIII, numa Europa
em que brilhavam as luzes do Iluminismo,
Afonso de Ligório percorria as estreitas ruas
e as serras verdejantes do sul de Itália,
ensinando a oração e o diálogo íntimo com o Senhor.
Nada é mais fácil, e ao mesmo tempo mais difícil,
do que abrir os lábios e as mãos para uma oração pura,
confiante, verdadeira e familiar,
como a que estás prestes a iniciar.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 13, 44-46]

Disse Jesus à multidão:
«O reino dos Céus é semelhante
a um tesouro escondido num campo.
O homem que o encontrou tornou a escondê-lo
e ficou tão contente que foi vender tudo quanto possuía
e comprou aquele campo.
O reino dos Céus é semelhante
a um negociante que procura pérolas preciosas.
Ao encontrar uma de grande valor,
foi vender tudo quanto possuía e comprou essa pérola». 

O reino dos Céus é um tesouro que levas dentro de ti. É um tesouro no meio de rotinas e corridas diárias, que te vão matando a alegria; e, contudo, o tesouro está lá! Deparares com o tesouro não é mero acaso ou sorte, nem sequer um acontecimento esporádico e fugaz. Este tesouro está lá, sempre, à tua espera. A única coisa que te pede é a dedicação exclusiva do teu coração.

O reino dos Céus é um comerciante à procura de pérolas. O reino dos Céus é um negociante que encontra uma pérola de grande valor. O reino dos Céus é um negociante que vendeu tudo quanto possuía e adquiriu uma pérola única e sem preço. 
O que persegues realmente na vida? 

Escuta pela segunda vez o Evangelho. Repara como há um tesouro que vai ter contigo, e um tesouro que te faz partir à procura. Há que estar disposto a dar a volta ao mundo, em busca da sabedoria; mas é importante deixares-te surpreender pela sabedoria que vem ao teu encontro, batendo à porta de tua casa! 

Pede ao Senhor esta graça: que, de facto, a comunhão com Ele seja tudo para ti. Que a tua vida testemunhe esta comunhão. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.