Sexta-feira da décima quarta semana do Tempo Comum

Hoje é dia treze de julho, sexta-feira da décima quarta semana do Tempo Comum.

Eis que a semana está prestes a concluir-se.
Recorda esta prece do salmo 122
que rezaste no domingo passado;
e que as suas palavras não deixem de indicar
a orientação da tua vida.
«Levanto os meus olhos para Vós,
para Vós que habitais no Céu;
como os olhos do servo se fixam nas mãos do seu senhor.
Como os olhos da serva se fixam nas mãos da sua senhora,
assim os nossos olhos se voltam para o Senhor nosso Deus,
até que tenha piedade de nós».

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 10, 16-23] 

Disse Jesus aos seus apóstolos:
«Envio-vos como ovelhas para o meio de lobos.
Portanto, sede prudentes como as serpentes e simples como as pombas.
Tende cuidado com os homens:
hão de entregar-vos aos tribunais e açoitar-vos nas sinagogas.
Por minha causa, sereis levados à presença de governadores e reis,
para dar testemunho diante deles e das nações.
Quando vos entregarem,
não vos preocupeis em saber como falar nem com o que dizer,
porque nessa altura vos será sugerido o que deveis dizer;
porque não sereis vós a falar,
mas é o Espírito do vosso Pai que falará em vós.
O irmão entregará à morte o irmão e o pai entregará o filho.
Os filhos hão de erguer-se contra os pais e causar-lhes a morte.
E sereis odiados por todos por causa do meu nome.
Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.
Quando vos perseguirem numa cidade, fugi para outra.
Em verdade vos digo:
não acabareis de percorrer as cidades de Israel,
antes de vir o Filho do homem». 

Hoje, o Evangelho é provocador! Uma ovelha no meio de lobos é uma imagem muito forte. Tenta imaginar o que sente uma ovelha no meio de lobos… 

Procura recordar alguma situação ou situações que conheças, vividas por ti ou por outros, em que ser discípulo de Jesus tenha provocado conflitos ou agressões. 

Ouve outra vez as palavras de Jesus. O que Ele disse que os apóstolos iriam sofrer foi o mesmo que Ele próprio sofreu. Recorda o que conheces da sua vida e imagina-O a passar por tudo aquilo que anunciou. 

Imagina-te diante de Jesus. Consegues imaginar-te a enfrentar dificuldades por causa d'Ele? O que te assusta mais? 
Conclui o teu tempo de oração falando-Lhe dos teus medos e pedindo força, para ti e para quem enfrenta dificuldades por ser cristão. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.