Sexta-feira da trigésima terceira semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e três de novembro, sexta-feira da trigésima terceira semana do tempo comum.

Durante alguns momentos, toma consciência da tua respiração. Considera como a tua vida depende deste movimento incessante e automático.
Considera também como é necessário, por vezes, respirar fundo, enchendo os pulmões de ar e tomando consciência da sua capacidade, que raramente usas.
Com a oração acontece algo semelhante: é preciso que se torne tão habitual como a respiração... e, de vez em quando, precisas de experimentar toda a capacidade de rezar que levas dentro de ti. Hoje, procura respirar espiritualmente com todas as tuas capacidades... e com este desejo começa a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 19, 45-48]

Jesus entrou no templo
e começou a expulsar os vendedores,
dizendo-lhes:
«Está escrito: ‘A minha casa é casa de oração’;
e vós fizestes dela ‘um covil de ladrões’».
Jesus ensinava todos os dias no templo.
Os príncipes dos sacerdotes, os escribas e os chefes do povo
procuravam dar-Lhe a morte,
mas não encontravam o modo de o fazer,
porque todo o povo ficava maravilhado quando O ouvia.

O Papa Francisco diz-nos que “o mais importante templo de Deus é o nosso coração, a nossa alma».
Deixa, hoje, que Jesus purifique o templo do teu coração.

Jesus está também presente de um modo especial no templo daqueles que têm necessidade: nos doentes, nos que sofrem, nos famintos, nos presos.
Cuidas deste templo, através do teu serviço?
Aproximas-te para ajudar, vestir, consolar os que precisam?

Volta a ouvir o texto do Evangelho, procurando entrar nos sentimentos de Jesus e em tudo aquilo que hoje te quer dizer.

Nesta parte final da tua oração, pede a Jesus que te ensine a cuidar da sua Igreja, a colaborar para que seja lugar de encontro com Deus e lugar de serviço e consolo para os que mais precisam.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.