Quinta-feira da décima quarta semana do Tempo Comum

Hoje é dia doze de julho, quinta-feira da décima quarta semana do Tempo Comum. 

A oração, vivida no nosso quotidiano,
representa uma abertura
na busca do novo e do essencial da vida.
Hoje, começa a tua oração
escutando o seguinte poema de Nuno Júdice:
«Nunca são as coisas mais simples que aparecem
quando as esperamos. O que é mais simples,
como o amor, ou o mais evidente dos sorrisos, não se
encontra no curso previsível da vida. Porém, se
nos distraímos do calendário, ou se o acaso dos passos
nos empurrou para fora do caminho habitual,
então as coisas são outras». 

Escuta esta passagem do Livro do Profeta Oseias. L1 Os 11, 1-4.8c-9]

Eis o que diz o Senhor:
«Quando Israel era ainda criança, já Eu o amava;
e, para o fazer sair do Egito, chamei o meu filho.
Mas quanto mais Eu os chamava,
mais eles se afastavam de Mim.
Ofereciam sacrifícios a Baal
e queimavam incenso aos ídolos.
Contudo, Eu ensinava Efraim a andar
e trazia-o nos braços;
mas não compreenderam que era Eu quem cuidava deles.
Atraía-os com laços humanos, com vínculos de amor.
Tratava-os como quem pega um menino ao colo,
inclinava-Me para lhes dar de comer.
O meu coração agita-se dentro de Mim,
estremece de compaixão.
Não cederei ao ardor da minha ira,
nem voltarei a destruir Efraim.
Porque Eu sou Deus e não homem,
sou o Santo no meio de ti e não venho para destruir». 

O texto escolhido para hoje apresenta uma imagem de Deus que nem sempre temos presente – Deus como um pai ternurento. Começa a tua oração imaginando Deus inclinando-Se para ti, para te falar ao ouvido ou para te ouvir melhor. 

As crianças não têm noção do que os pais fazem por elas, nem pensam nisso… Tenta agora aperceber-te de como é que Deus cuida de ti, do quanto recebes dele em cada dia, muitas vezes sem te dares conta. 

Ao ouvires outra vez o texto, procura perceber o que quer dizer «o meu coração agita-se dentro de Mim, estremece de compaixão». Ouve esta frase referindo-se à humanidade em geral, ou referindo-se a ti, em particular. 

Termina a oração de hoje procurando responder a esta declaração de amor paterno que Deus te faz. Podes responder agradecendo, pedindo desculpa, ou de outra forma que te surja espontaneamente. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.