Quinta-feira da décima terceira semana do Tempo Comum

Hoje é dia cinco de julho, quinta-feira da décima terceira semana do Tempo Comum. 

Diz-nos o Salmo 18:
«Os preceitos do Senhor são retos
e alegram o coração.
Os mandamentos do Senhor são claros
e iluminam os olhos».
A tua vida de oração alimenta-se de uma palavra
que brota da tua abertura e sensibilidade,
alargando a roda dos teus pensamentos e critérios.
Abre-te à escuta desta lei de vida, a lei do Espírito,
capaz de alegrar o teu coração
e iluminar os teus olhos.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 9, 1-8]

Jesus subiu para um barco,
atravessou o mar e foi para a cidade de Cafarnaum.
Apresentaram-Lhe então um paralítico que jazia numa enxerga.
Ao ver a fé daquela gente,
Jesus disse ao paralítico:
«Filho, tem confiança;
os teus pecados estão perdoados».
Alguns escribas disseram para consigo:
«Este homem está a blasfemar».
Mas Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse:
«Porque pensais mal em vossos corações?
Na verdade, que é mais fácil:
dizer: ‘Os teus pecados estão perdoados’,
ou dizer: ‘Levanta-te e anda’?
Pois bem. Para saberdes que o Filho do homem
tem na terra o poder de perdoar os pecados,
‘Levanta-te – disse Ele ao paralítico –
toma a tua enxerga e vai para casa’.
O homem levantou-se e foi para casa.
Ao ver isto, a multidão ficou cheia de temor
e glorificava a Deus por ter dado tal poder aos homens. 

Jesus vê o paralítico, e este olhar é um olhar profundo, de amor e de compaixão; é um olhar que perceciona e acolhe tudo, tanto os males do coração, como os males físicos. 
É assim que o Senhor te olha, com o mesmo desejo de ir ao teu encontro para te curar e salvar. Toma consciência desta presença e abre-te a ela. Não te esqueças que quem coloca reservas e impedimentos és sempre tu, e nunca o Senhor.    

A confiança e a fé são passos chave nos processos de cura de Jesus, porque é dessa atitude que depende a abertura à graça que possibilita a ação de Deus. 
Se um estranho te perguntar se confias em Deus, o que respondes? Questiona-te acerca do significado dessa resposta. 

Jesus não deixa de agir ou de falar por causa do medo. Será que a tua vida seria diferente se o medo ocupasse apenas o lugar que lhe é devido? Escuta o que o Senhor te quer dizer através da sua palavra. 

Termina a tua oração dando graças ao Senhor por coisas concretas da tua vida, pequenas e grandes. Deixa-te envolver neste agradecimento e na alegria que dele brota, para que esta atitude possa moldar o teu olhar durante o resto deste dia. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.