Quinta-feira da décima sexta semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e seis de julho, memória litúrgica de São Joaquim e Santa Ana, pais de Nossa Senhora. 

A tradição cristã, desde os seus primeiros séculos,
reconhece as figuras de Joaquim e Ana como os pais de Maria,
a mãe de Jesus.
Quando o nosso olhar aprende a arte da gratidão,
reconhecemos como a nossa vida é formada e moldada
pela presença daqueles que nos precederam.
Hoje, começa a tua oração
recordando os teus familiares mais velhos,
e não deixes de pedir o respeito, a admiração e o carinho
pelas anciãs e pelos anciãos
do nosso mundo e das tuas relações.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 13, 10-17]

Os discípulos aproximaram-se de Jesus e disseram-Lhe:
«Porque lhes falas em parábolas?».
Jesus respondeu:
«Porque a vós é dado conhecer os mistérios do reino dos Céus,
mas a eles não.
Pois àquele que tem dar-se-á e terá em abundância;
mas àquele que não tem, até o pouco que tem lhe será tirado.
É por isso que lhes falo em parábolas,
porque veem sem ver e ouvem sem ouvir nem entender.
Neles se cumpre a profecia de Isaías que diz:
‘Ouvindo ouvireis, mas sem compreender;
olhando olhareis, mas sem ver.
Porque o coração deste povo tornou-se duro:
endureceram os seus ouvidos e fecharam os seus olhos,
para não acontecer
que, vendo com os olhos e ouvindo com os ouvidos
e compreendendo com o coração,
se convertam e Eu os cure’.
Quanto a vós, felizes os vossos olhos porque veem
e os vossos ouvidos porque ouvem!
Em verdade vos digo: muitos profetas e justos
desejaram ver o que vós vedes e não viram
e ouvir o que vós ouvis e não ouviram». 

Jesus anuncia a boa notícia, recorrendo a parábolas. Fala para todos, doutores e analfabetos. Recorre a imagens do domínio comum. 
Jesus anuncia-te o reino do Céu e comunica-te uma vida nova, que podes ir já acolhendo nesta vida. As parábolas abrem-te a porta a esta nova realidade, procurando fazer-te entender as realidades do Céu, em direção às quais peregrinas na terra. 

Deus deseja acolher-te na vida divina. Por isso encarnou, anunciou, morreu e ressuscitou, escancarando-te a passagem e comunicando-te a sua vida. Mas se o teu coração, entendimento e sentidos permanecerem endurecidos, Ele não pode forçar-te a entrar. 

Escuta pela segunda vez o Evangelho. Há uma nova realidade, ansiosamente aguardada desde os primórdios da humanidade, que já está aí. Há uma extrema abundância que se concretiza em Jesus: uma felicidade plena, da qual te quer fazer participante. Deste modo realizas os teus anseios mais profundos.

Pede a graça de acolheres a vida plena em Deus, em vista da qual a tua vida foi criada. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.