Quinta-feira da décima nona semana do Tempo Comum

Hoje é dia dezasseis de agosto, quinta-feira da décima nona semana do tempo
comum.

Devagar,
como quem não deseja forçar nada,
vai-te desligando das preocupações do momento.
Vai criando em ti
o lugar e o tempo para acolheres a presença de Deus.
Ele nunca Se atrasa
e chega sempre no momento certo.
Aguarda-O e... começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 18, 21 – 19,
1]

Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou-Lhe:
«Se meu irmão me ofender,
quantas vezes deverei perdoar-lhe? Até sete vezes?».
Jesus respondeu:
«Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete.
Na verdade, o reino de Deus pode comparar-se a um rei
que quis ajustar contas com os seus servos.
Logo de começo,
apresentaram-lhe um homem que devia dez mil talentos.
Não tendo com que pagar, o senhor mandou que fosse vendido,
com a mulher, os filhos e tudo quanto possuía,
para assim pagar a dívida.
Então o servo prostrou-se a seus pés, dizendo:
‘Senhor, concede-me um prazo e tudo te pagarei’.
Cheio de compaixão, o senhor daquele servo
deu-lhe a liberdade e perdoou-lhe a dívida.
Ao sair, o servo encontrou um dos seus companheiros
que lhe devia cem denários.
Segurando-o, começou a apertar-lhe o pescoço, dizendo:
‘Paga o que me deves’.
Então o companheiro caiu a seus pés e suplicou-lhe, dizendo:
‘Concede-me um prazo e pagar-te-ei’.
Ele, porém, não consentiu e mandou-o prender,
até que pagasse tudo quanto devia.
Testemunhas desta cena, os seus companheiros ficaram muito tristes
e foram contar ao senhor tudo o que havia sucedido.
Então, o senhor mandou-o chamar e disse:
‘Servo mau, perdoei-te, porque me pediste.
Não devias, também tu, compadecer-te do teu companheiro,
como eu tive compaixão de ti?’.
E o senhor, indignado, entregou-o aos verdugos,
até que pagasse tudo o que lhe devia.
Assim procederá convosco meu Pai celeste,
se cada um de vós não perdoar a seu irmão de todo o coração».

Este Evangelho fala de um dos pontos essenciais da Igreja, da vida em
comunidade e das relações entre as pessoas – a capacidade de perdoar.
Perdoar é voltar a doar-se, é ir além das medidas humanas. É tocar o divino. É
das problemáticas mais difíceis que um cristão tem que enfrentar.

Perdoar é olhar as pessoas e as situações com o olhar de Deus e ser capaz de
fazer o exercício de se esvaziar dos pensamentos negativos. A partir desse
olhar de Deus, encontrarás o Bem que o Senhor pôs no coração das pessoas e
das situações.
Tens trabalhado a arte do perdão?

Vais ouvir de novo o Evangelho.
Embora o tema do perdão seja difícil, doloroso e sensível, a verdade é que
para Deus não há impossíveis. Não penses para já num caso limite, treina-te
primeiro em casos simples do teu dia a dia, espalhando o perdão à tua volta.

O Senhor sabe das tuas dificuldades e quer ajudar-te: primeiro, reza pela
pessoa que te magoou; segundo, não lhe queiras mal. Já estás, mesmo sem
perceber, a pisar o caminho da reconciliação. Não existe nenhuma maldade
que seja maior do que o Amor de Deus. Com Jesus, terás a capacidade de
acreditar na recuperação de todas as pessoas.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.