Quinta-feira da vigésima primeira semana do Tempo Comum

Hoje é dia trinta de agosto, quinta-feira da vigésima primeira semana do tempo
comum.

Quando te habituas a rezar,
a oração deixa de ser algo complicado.
Não te pede muitas palavras nem pensamentos profundos.
Pede-te atenção,
desejo de escutar o Senhor,
disponibilidade para acolher a sua Palavra
e sinceridade para te apresentares como és diante do teu Deus.
Hoje, pede ao Senhor alguma destas virtudes...
e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem da primeira carta de São Paulo aos Coríntios. [L1 1 Cor, 1, 1-9]

Paulo, por vontade de Deus
escolhido para Apóstolo de Cristo Jesus
e o irmão Sóstenes,
à Igreja de Deus que está em Corinto,
aos que foram santificados em Cristo Jesus,
chamados à santidade,
com todos os que invocam, em qualquer lugar,
o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso:
A graça e a paz de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo
estejam convosco.
Dou graças a Deus, em todo o tempo, a vosso respeito,
pela graça divina que vos foi dada em Cristo Jesus.
Porque fostes enriquecidos em tudo:
em toda a palavra e em todo o conhecimento;
e deste modo, tornou-se firme em vós o testemunho de Cristo.
De facto, já não vos falta nenhum dom da graça,
a vós que esperais a manifestação de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Ele vos tornará firmes até ao fim,
para que sejais irrepreensíveis
no dia de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiel é Deus, por quem fostes chamados
à comunhão com seu Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor.

Que bom começar por louvar, agradecer! As mensagens que envias são
assim? São Paulo alegra-se e dá graças a Deus pelos irmãos a quem dirige a
carta. Apela à sua fidelidade no seguimento de Cristo. Une o seu coração ao
coração de todos.

Defender os interesses dos outros não é só fazê-lo por escrito. Quantos gestos
de aproximação evitas, por falsas razões de bem-estar ou respeito humano?
Que te falta? Foste “enriquecido em tudo”. Essas riquezas destinam-se a ti?

Na situação em que te encontras, procura julgar bem tudo e todos. Aceitar as
fraquezas e o mal não significa concordar com isso. A começar por ti. Jesus
escolheu os mais pobres. Procuras imitá-Lo no coração puro e nas obras de
misericórdia?

A fidelidade de Deus em Cristo nunca desanima à vista dos pecados do
mundo. Certamente O entristece, como alguém que tem pena de não poder
ajudar. Jesus conhece essa tristeza. Deixa-te ajudar por Ele, para poderes
ajudar a todos.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.