Quinta-feira da vigésima nona semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e cinco de outubro, quinta-feira da vigésima nona semana do Tempo
Comum.

Podes dizer muitas palavras,
recitar muitas orações que sabes de cor...
se não tiveres confiança no Senhor,
estás apenas a falar contigo ou a praticar a arte da ilusão.
Mas a confiança não é fácil,
sobretudo quando tudo parece correr mal,
quando o presente parece não ter saída
e o futuro é uma palavra sem sentido.
Deixa que a confiança seja a alma do teu dia...
e com este desejo começa a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 12, 49-53]

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Eu vim trazer o fogo à terra
e que quero Eu senão que ele se acenda?
Tenho de receber um baptismo
e estou ansioso até que ele se realize.
Pensais que Eu vim estabelecer a paz na terra?
Não. Eu vos digo que vim trazer a divisão.
A partir de agora,
estarão cinco divididos numa casa:
três contra dois e dois contra três.
Estarão divididos o pai contra o filho e o filho contra o pai,
a mãe contra a filha e a filha contra a mãe,
a sogra contra a nora e a nora contra a sogra».

“Eu vim trazer o fogo à terra e que quero Eu senão que ele se acenda”. A impaciência de
Jesus. Vem ao mundo com uma missão muito concreta: atear o fogo do amor que destrói
o pecado e comunica a vida nova, em Deus.
Já te deixaste contagiar pela impaciência amorosa de Jesus ou ainda vives o
desinteresse instalado que apenas se preocupa consigo?

“Tenho de receber um baptismo e estou ansioso até que ele se realize.”
Um baptismo – um mergulho, imersão – que põe termo a uma velha realidade e faz
nascer para a vida nova em Deus! Sempre o mesmo desejo profundo de Jesus, a ânsia
de realizar a sua missão em teu favor…
Sentes alguma pressa em corresponder a este Jesus ansioso por te salvar?

Escuta pela segunda vez o Evangelho. “Três contra dois e dois contra três.” Optar por
Jesus obriga-te a uma tomada de posição, inclusive correndo o risco de te ferires na
aresta cortante do conflito inevitável com o mundo. Dispõe-te a tudo, em favor de um
amor maior. A luta, o combate espiritual será sempre desigual – nem os laços afectivos
mais próximos serão poupados; mas podes contar sempre com Deus a teu lado.

Pede a força, a determinação em levar por diante o que Deus te mostra ser o melhor.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.