Terça-feira da décima segunda semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e seis de junho, terça-feira da décima segunda semana do Tempo Comum.

Estás prestes a iniciar o teu momento de oração.
No percorrer de uma semana que vai a meio,
podes reconhecer a presença do Senhor
que nunca deixa de estar ao teu lado.
Oferece-Lhe este breve tempo de silêncio e de escuta;
e que a tua vida não deixe de crescer
em sabedoria, estatura e graça,
diante de Deus e dos irmãos.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 7, 6.12-14]

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Não deis aos cães o que é santo,
nem lanceis aos porcos as vossas pérolas,
não vão eles calcá-las aos pés
e voltar-se para vos despedaçarem.
Tudo quanto quiserdes que os homens vos façam
fazei-o também a eles,
pois nisto consiste a Lei e os Profetas.
Entrai pela porta estreita,
porque larga é a porta e espaçoso o caminho
que leva à perdição
e muitos são os que seguem por eles.
Como é estreita a porta e apertado o caminho
que conduz à vida
e como são poucos aqueles que os encontram!»

Hoje Jesus diz-te que é a dinâmica do serviço que te salva. No entanto, é essencial que não te concentres na exterioridade desta afirmação, pensando que é no muito fazer pelos outros que encontrarás o que procuras. 

O teu foco deve estar na forma como serves, no que procuras ao servir e naqueles a quem eleges servir. Questiona-te e escolhe uma palavra que sintetize, mesmo que parcialmente, a tua atitude atual de serviço e abertura aos outros; a partir dela, desenha com Jesus caminhos de futuro.  

Ao escutares de novo as palavras de Jesus, deixa que elas alimentem em ti o desejo de buscares sempre, e em tudo, o caminho que conduz à vida. 

Termina a tua oração dando graças ao Senhor por todos aqueles que, neste preciso momento, vivem vidas de total entrega e serviço aos outros. Se conheces alguma pessoa que viva assim, não deixes de a nomear, para que a radicalidade do seu exemplo concreto possa dar força às tuas intenções. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.