Segunda-feira da décima sétima semana do Tempo Comum

Hoje é dia trinta de julho, segunda-feira da décima sétima semana do Tempo Comum.

Hoje, começa a tua oração
e prepara o teu coração,
com as palavras da judia holandesa Etty Hillesum,
assassinada durante a Segunda Guerra Mundial:
«Estou com os esfaimados, os maltratados, os moribundos, todos os dias,
mas também estou com o jasmim
e com aquele pedaço de céu para lá da minha janela;
para tudo existe lugar numa vida.
Para uma fé em Deus e para um fim miserável». 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 13, 31-35]

Jesus disse ainda à multidão a seguinte parábola:
«O reino dos Céus pode comparar-se ao grão de mostarda
que um homem tomou e semeou no seu campo.
Sendo a menor de todas as sementes,
depois de crescer, é a maior de todas as plantas da horta
e torna-se árvore,
de modo que as aves do céu vêm abrigar-se nos seus ramos».
Disse-lhes outra parábola:
«O reino dos Céus pode comparar-se ao fermento
que uma mulher toma e mistura em três medidas de farinha,
até ficar tudo levedado».
Tudo isto disse Jesus em parábolas,
e sem parábolas nada lhes dizia,
a fim de se cumprir o que fora anunciado pelo profeta,
que disse: «Abrirei a minha boca em parábolas,
proclamarei verdades ocultas desde a criação do mundo». 

Jesus sublinha a desproporção do grão de mostarda, «a menor de todas as sementes», que, quando atinge o pleno desenvolvimento, se torna «a maior de todas as plantas da horta». Esta desproporção simboliza também a nova realidade do reino do Céu. 
Repara na delicadeza das imagens que Jesus usa, nas quais Ele próprio Se revê! Procura comparar-te e identificar-te com a imagem da mostarda.

As três medidas de farinha totalizam cerca de 90 litros. É a quantidade de pão necessária para um banquete. A mulher lança-se sozinha a esta tarefa. 
Repara na desproporção entre a quantidade de fermento e a de farinha, de modo a cozer pão para tão grande festa. 

Escuta pela segunda vez o Evangelho. Estas duas parábolas não constituem uma mera redundância. Jesus, ao utilizar diferentes imagens, não se limita a dizer o mesmo de outra forma. A semente de mostarda que irrompe à superfície como árvore contrasta com o fermento que se perde na farinha, levedando a massa. 
Procura conjugar, por um lado, a generosidade com que te dás aos outros e, por outro, a tua vida espiritual, ao nível interior. 

Pede ao Senhor a graça de testemunhares, na vida quotidiana, o dinamismo do reino dos Céus que levas dentro de ti. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.