Segunda-feira da décima nona semana do Tempo Comum

Hoje é dia treze de agosto, segunda-feira da décima nona semana do Tempo
Comum.

Quantas vezes desejas começar a rezar e não sabes como.
Hoje, simplesmente, não queiras saber.
Deixa o Senhor falar-te ao coração.
Deixa crescer em ti o desejo
de escutar a sua Palavra.
Deseja que seja Ele a guiar os teus passos...
E começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 17, 22-27]

Estando Jesus e os discípulos na Galileia,
disse-lhes Jesus:
«O Filho do homem vai ser entregue nas mãos dos homens,
que hão de matá-Lo;
mas Ele ao terceiro dia ressuscitará».
Os discípulos ficaram profundamente consternados.
Quando chegaram a Cafarnaum,
os cobradores das didracmas aproximaram-se de Pedro
e perguntaram-lhe:
«O vosso Mestre não paga a didracma?».
Pedro respondeu-lhes: «Paga, sim».
Quando chegou a casa,
Jesus antecipou-Se e disse-lhe:
«Simão, que te parece?
De quem recebem os reis da terra impostos ou tributos?
Dos filhos ou dos estranhos?».
E como ele respondesse que era dos estranhos,
Jesus disse-lhe:
«Então os filhos estão isentos.
Mas para não os escandalizarmos,
vai ao mar e deita o anzol.
Apanha o primeiro peixe que morder a isca,
abre-lhe a boca e encontrarás um estáter.
Pega nele e paga-lhes o imposto por Mim e por ti».

Jesus convivia familiarmente com os seus amigos e conversava com eles
sobre o que estava para Lhe acontecer – Paixão, Morte e Ressurreição. Ele
queria que eles estivessem preparados, quando tudo viesse a acontecer. A
relação daquele grupo era uma relação normal de amizade.

Jesus quer que participes de uma maneira nova na vida em sociedade: nos
negócios, compras e vendas, pagamentos, tudo com total verdade. Quer que te
responsabilizes pelos teus impostos. Ele próprio, apesar de absolutamente livre
e acima de todas as realidades humanas, não querendo escandalizar, cumpriu
a lei dos homens no tempo que viveu no mundo.

Dá atenção de novo ao Evangelho. E pede ao Senhor que te dê a graça de
saberes usar os bens com dignidade e respeito por ti e pelos outros.

Vives num mundo onde o mal te é apresentado, com frequência, sob uma bela
aparência de bem. Só a permanência em Jesus te pode dar a transparência do
olhar e a pureza do coração, para alcançares a sabedoria e o discernimento.
Pede ao Senhor estes dons e fala-Lhe do que mais te preocupa neste
momento.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.