Segunda-feira da vigésima quinta semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e quatro de setembro, segunda-feira da vigésima quinta semana do Tempo Comum.

Considera até onde vai o amor de Deus por ti: 
até à morte na cruz. 
A cruz é a verdade última do amor, 
a palavra definitiva sobre o amor.
Considera agora até onde vai o teu amor... 
Deixa-te ficar na presença de Deus
e interroga-te sobre a palavra de amor que ainda não Lhe disseste
e sobre o gesto de amor que ainda não foste capaz de fazer...
E começa assim a tua oração. 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 8, 16-18]

Disse Jesus à multidão:
«Ninguém acende uma lâmpada para a cobrir com uma vasilha
ou a colocar debaixo da cama,
mas coloca-a num candelabro,
para que os que entram vejam a luz.
Não há nada oculto que não se torne manifesto,
nem secreto que não seja conhecido à luz do dia.
Portanto, tende cuidado com a maneira como ouvis.
Pois àquele que tem, dar-se-á;
mas àquele que não tem,
até o que julga ter lhe será tirado». 

Acender uma luz e tapá-la, não faz sentido. É como ligar o aquecedor e pô-lo na varanda. A verdade é que fazemos muitas coisas incoerentes. E, às vezes, nem nos apercebemos.
Lembra-te de algumas ocasiões em que o que disseste não correspondia, nem ao que pensavas, nem ao que fazias. Percebes porque é que isso te pode acontecer?

Lembra-te de Jesus e da sua coerência, mesmo nos momentos mais difíceis e quando era atacado. E como é bom saber que a verdade vem sempre ao de cima

Toma atenção ao final da leitura: ao que tem dar-se-á! Isto é: aquele que tem abertura de mente e de coração pode sempre receber. Mas o que não tem espírito aberto, nem amor… até o que pensa ter, vai perder. 

Para terminar, pede a graça de alcançar essa atitude de coerência e de humildade. E o Senhor estará contigo. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.