Segunda-feira da trigésima quarta semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e seis de novembro, segunda-feira da trigésima quarta semana do tempo comum.

Olha à tua volta.
Provavelmente, encontras a realidade de todos os dias diante dos teus olhos.
Procura ver com os olhos de Jesus:
com simplicidade, mas também com prudência;
com respeito, mas sem respeitos humanos...
e, sobretudo, com amor,
o único modo de olhar capaz de ver para lá das aparências.
Pode ser que, olhando assim,
descubras algo de novo no teu quotidiano.
Se for o caso, começa por aí a tua oração...

Escuta esta passagem do Evangelho segundo S. Lucas. [Ev Lc 21, 1-4]

Jesus levantou os olhos
e viu os ricos deitarem na arca do Tesouro as suas ofertas.
Viu também uma viúva muito pobre
deitar duas pequenas moedas.
Então Jesus disse:
«Em verdade vos digo:
Esta viúva pobre deu mais do que todos os outros.
Todos eles deram do que lhes sobrava;
mas ela, na sua penúria,
ofereceu tudo o que possuía para viver».

No meio da ostentação, da feira das vaidades, Jesus encontra nesta viúva muito pobre aquilo que procura em ti: autenticidade. Uma autenticidade garantida por três qualidades: o dom total de si, a fé no Senhor e a ausência de qualquer ostentação. Jesus apresenta esta viúva como modelo do discípulo.

Esta viúva muito pobre oferece ao Senhor tudo quanto tem. Tudo quanto tem para viver. Sim, ela dá tudo. Não reserva nada para si. Investe toda a sua vida na relação com o Senhor.

Escuta de novo a passagem do Evangelho, imaginando-te com Jesus junto à arca do Tesouro a ver os ricos a deitarem o que lhes sobra e a viúva muito pobre a dar tudo quanto possuía. Deixa surgir os teus pensamentos, sem censuras, sem juízos.

Costumas pensar no modo como Deus te olha e o seu olhar é o mais importante, ou vives preocupado com o que os outros pensam de ti?
Mais do que responderes a esta questão, deixa o Espírito Santo iluminar o teu coração para te dar a conhecer a tua verdade.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.