Quarta-feira da primeira semana do Advento

Hoje é dia seis de dezembro, quarta-feira da primeira semana do Advento.

As narrativas bíblicas traçam um fio de luz,
uma esperança constante no seio da história.
Os seus profetas e poetas prometem uma salvação,
e dos seus lábios nasce a súplica e o louvor.
Neste tempo de advento, permite que a frágil luz da oração
te abra os sentidos e o coração para a presença de Deus
nos ritmos e horas dos teus dias.
Começa assim a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 15, 29-37]

Foi Jesus para junto do mar da Galileia
e, subindo ao monte, sentou-Se.
Veio ter com Ele uma grande multidão,
trazendo coxos, aleijados, cegos, mudos e muitos outros,
que lançavam a seus pés.
Ele curou-os, de modo que a multidão ficou admirada,
ao ver os mudos a falar, os aleijados a ficar sãos,
os coxos a andar e os cegos a ver;
e todos davam glória ao Deus de Israel.
Então Jesus, chamando a Si os discípulos, disse-lhes:
«Tenho pena desta multidão,
porque há três dias que estão comigo e não têm que comer.
Mas não quero despedi-los em jejum,
pois receio que desfaleçam no caminho».
Disseram-Lhe os discípulos:
«Onde iremos buscar, num deserto,
pães suficientes para saciar tão grande multidão?»
Jesus perguntou-lhes: «Quantos pães tendes?»
Eles responderam-Lhe: «Sete, e alguns peixes pequenos».
Jesus ordenou então às pessoas que se sentassem no chão.
Depois tomou os sete pães e os peixes
e, dando graças, partiu-os e foi-os entregando aos discípulos
e os discípulos distribuíram-nos pela multidão.
Todos comeram até ficarem saciados.
E com os pedaços que sobraram encheram sete cestos. 

 

Pontos de oração

Jesus regressa à Galileia e sobe ao monte para descansar. É ali, no lugar do encontro com o Pai, que fortifica a missão. Na oração, Jesus começa a preparar a salvação. No início desta oração, imagina-te também no monte, com Jesus. Descansa com Ele dos teus trabalhos e preocupações.

Vem ter com Jesus uma grande multidão de enfermos. Os mudos começam a falar, os aleijados ficam sãos, os coxos andam e os cegos recuperam a vista. 
Quais as doenças que te afligem, que pecados te impedem de ver com clareza e de caminhar com passo mais ligeiro? 

O gesto de Jesus não se fica pela cura. É preciso saciar a multidão que tem fome. Na cena da multiplicação dos pães e dos peixes, és convidado a aproximares-te do pão eucarístico. 
Enquanto ouves pela segunda vez o Evangelho, interroga-te sobre a centralidade da Missa na tua vida cristã.

 

Colóquio final

Diz o texto que todos davam glória ao Deus de Israel. É a atitude de ação de graças por tanto bem recebido. 
Conclui este tempo de oração agradecendo alguma coisa boa que Deus te tenha concedido ultimamente.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.