Terça-feira da terceira semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e nove de janeiro, terça-feira da terceira semana do tempo comum.

Não é fácil viver sempre conscientemente na presença de Deus.
Há tanta coisa a puxar-te para a terra,
para as preocupações quotidianas...
Há tantas formas de te distraíres,
de viveres como se Deus não existisse.
Não é fácil viver sempre na presença de Deus.
Mas é possível ir tomando consciência dessa presença,
prestando atenção aos sinais de Deus naquilo que te rodeia
e, sobretudo, elevando o teu coração para o Senhor.
Diz-Lhe: “Para ti, Senhor, elevo a minha alma”.
E começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Marcos. [Ev Mc 3, 31-35]

A Mãe e os irmãos de Jesus chegaram à casa onde Ele estava
e, ficando fora, mandaram-No chamar.
A multidão estava sentada em volta d’Ele,
quando Lhe disseram:
«Tua Mãe e teus irmãos estão lá fora à tua procura».
Mas Jesus respondeu-lhes:
«Quem é minha Mãe e meus irmãos?».
E, olhando para aqueles que estavam à sua volta, disse:
«Eis minha Mãe e meus irmãos.
Quem fizer a vontade de Deus
esse é meu irmão, minha irmã e minha Mãe».

Os dias de Jesus eram cheios. Muitos procuravam-No e chamavam-No. No episódio que acabaste de escutar, Jesus é interrompido. Nesse instante, o que faz? Com serenidade e determinação, coloca o foco em Deus e no cumprimento da sua vontade.
E tu, na correria dos dias e na sucessão de afazeres, como reages quando te incomodam ou importunam?

Jesus recoloca o centro no Pai, na relação pessoal com Ele e no cumprimento da sua vontade. É muito desafiadora e responsabilizadora esta forma existir. Pensa nisto e não deixes de te perguntar sobre o lugar real que, hoje, o Senhor ocupa na tua vida e de que forma influencia as tuas escolhas e ações.

Escuta de novo o Evangelho. Coloca a tua atenção no quão revelador é o modo de ser de Jesus. O que te diz?

Termina a tua oração entregando ao Senhor o desejo que tens de viver uma vida mais centrada n’Ele, cumprindo a sua vontade. E vai cultivando em ti este desejo nos próximos dias, para que da sede brote uma docilidade ainda maior à sua presença.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.