Terça-feira da segunda semana da Quaresma

Hoje é dia dezanove de março, terça-feira, solenidade litúrgica de São José, Esposo da Virgem Maria.

Os Evangelhos não registam uma palavra de José,
mas podemos imaginar que era um homem de profunda oração,
um homem de mão dada com o mistério de Deus
a desenrolar-se diante dos seus olhos.
Podes não ter a sensibilidade de José diante do mistério,
nem a grandeza da sua fé,
mas tens a certeza de o teres como intercessor junto de Deus.
Por isso, toma-o como companheiro dos teus dias,
confia-te à sua intercessão...
e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 1, 16.18-21.24a]

Jacob gerou José, esposo de Maria,
da qual nasceu Jesus, chamado Cristo.
O nascimento de Jesus deu-se do seguinte modo:
Maria, sua Mãe, noiva de José,
antes de terem vivido em comum,
encontrara-se grávida por virtude do Espírito Santo.
Mas José, seu esposo,
que era justo e não queria difamá-la,
resolveu repudiá-la em segredo.
Tinha ele assim pensado,
quando lhe apareceu num sonho o Anjo do Senhor,
que lhe disse:
«José, filho de David,
não temas receber Maria, tua esposa,
pois o que nela se gerou é fruto do Espírito Santo.
Ela dará à luz um filho e tu pôr-Lhe-ás o nome de Jesus,
porque Ele salvará o povo dos seus pecados».
Quando despertou do sono,
José fez como lhe ordenara o Anjo do Senhor.

Mas José, seu esposo, que era justo e não queria difamá-la, resolveu repudiá-la em segredo”. Num tempo em que as mulheres eram apedrejadas até à morte quando praticavam o adultério, José “não quis difamar a sua prometida” e em segredo, para que não se espalhasse, decidiu repudiá-la. Homem justo, isto é, “ajustado” a Deus. Não falou, não acusou, não se queixou, simplesmente calou.

Um homem que “falou tanto” sem nunca se ter ouvido a sua voz. Um homem que vivia e se alimentava do silêncio do Senhor. Na Bíblia não aparece nenhuma frase sua. Falam dele, mas ele? Nunca abriu a boca. Não precisava, pois a sua vida falava alto e bem. Por isso foi o escolhido para ser o pai adotivo de Jesus e por isso foi escolhido por ser o nosso pai adotivo.

Vais escutar outra vez esta passagem tão importante do Evangelho. Repara como José foi visitado pelo Senhor e como seguiu pelo caminho que Ele lhe indicou. Sem discutir, sem perguntar, sem “mas”. Apesar da sua incompreensão e de ser um caminho contrário à sua vontade e ao costume do seu povo, ajustou-se à vontade do seu Senhor e deixou-se levar pelo Espírito Santo.

Deixa-te guiar pelo Espírito de Deus. Dá ao Senhor espaço e tempo diariamente para poderes criar uma intimidade só vossa – do Senhor e tua – e verás como a tua vida se transformará. E seguirás o Senhor, mesmo que o caminho seja caminhar contra a corrente e te pareça que estás a ir na contra mão do mundo.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.