Quarta-feira da quarta semana da Quaresma

Hoje é dia três de abril, quarta-feira da quarta semana da quaresma.

“O Senhor é clemente e compassivo, paciente e cheio de bondade”.
Deixa-te ficar na presença deste Deus que nunca tem pressa em julgar
e menos ainda em condenar.
Sê como Ele.
Não te julgues e não julgues os outros.
Sê clemente contigo,
para poderes usar de compaixão com quem vive ao teu lado.
Procura que pelo menos a tua oração
seja um tempo livre de julgamentos e condenações,
disponível apenas para o amor que vem de Deus
e te ajuda a crescer na paciência e na bondade.
E com este desejo, começa a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 5, 19-25]

Jesus disse aos judeus:
«Em verdade, em verdade vos digo:
O Filho nada pode fazer por Si próprio,
mas só aquilo que viu fazer ao Pai;
e tudo o que o Pai faz também o Filho o faz igualmente.
Porque o Pai ama o Filho e Lhe manifesta tudo quanto faz;
e há de manifestar-Lhe coisas maiores que estas,
de modo que ficareis admirados.
Assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá vida,
assim o Filho dá vida a quem Ele quer.
O Pai não julga ninguém:
entregou ao Filho o poder de tudo julgar,
para que todos honrem o Filho, como honram o Pai.
Quem não honra o Filho não honra o Pai que O enviou.
Em verdade, em verdade vos digo:
Quem ouve a minha palavra e acredita n’Aquele que Me enviou
tem a vida eterna e não será condenado,
porque passou da morte à vida.
Em verdade, em verdade vos digo:
Aproxima-se a hora – e já chegou –
em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus;
e os que a ouvirem, viverão.

“O Filho nada pode fazer por Si próprio, mas só aquilo que viu fazer ao Pai.” O Evangelho repete sucessivas vezes que o Filho não faz nada por Si próprio – tudo é fruto da comunhão com o Pai. Jesus nunca age por conta própria. É deste amor, da comunhão com o Pai, que decorre toda a sua atividade.
Procura também viver em Deus, pondo em prática o que Ele te inspira e pede.

“O Pai não julga ninguém: entregou ao Filho o poder de tudo julgar”.
A vida eterna coincide no acolhimento do Filho. Pelo contrário, ser condenado é fechar-se ao acolhimento que Jesus oferece…
Coloca-te na presença de Jesus e deixa-te olhar por Ele… O que sentes, o que te diz?

Escuta novamente o Evangelho.
“Aproxima-se a hora – e já chegou – em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus…”. O Senhor pretende completar em ti a criação, quer que vás vivendo como filho. É este testemunho o que tens de melhor para oferecer ao mundo.

Termina este tempo de oração pedindo a Deus Pai a graça de, nesta quaresma, te preparares e dispores a acolher a vida nova que o Ressuscitado te quer comunicar.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.