Quarta-feira da quarta semana do tempo pascal

Hoje é dia quinze de maio, quarta-feira da quarta semana do tempo pascal.

Há quem faça da oração uma ideia triste, tomando-a por coisa enfadonha, capaz de aborrecer qualquer um. Não deixes que seja assim contigo. Se estás com o teu Senhor, Aquele que dá sentido à tua vida, não tens razão para estar triste. E mesmo que as circunstâncias sejam difíceis, para lá delas fica sempre a alegria de teres Deus na tua vida. Procura fazer destes minutos um tempo de alegria interior... e com este desejo começa a tua oração.

Escuta esta passagem do livro dos Atos dos Apóstolos. [L 1 Act 12, 24 – 13, 5a]

Naqueles dias, a palavra de Deus crescia e multiplicava-se. Depois de Barnabé e Saulo cumprirem a sua missão, voltaram de Jerusalém, trazendo consigo João, que tinha o sobrenome de Marcos. Na Igreja de Antioquia havia profetas e doutores: Barnabé, Simeão, chamado o Negro, Lúcio de Cirene, Manaen, irmão colaço do tetrarca Herodes, e Saulo. Estando eles a celebrar o culto do Senhor e a jejuar, disse-lhes o Espírito Santo: «Separai Barnabé e Saulo para o trabalho a que os chamei». Então, depois de terem jejuado e orado, impuseram-lhes as mãos e deixaram-nos partir. Enviados pelo Espírito Santo, Barnabé e Saulo desceram a Selêucia e de lá navegaram para Chipre. Tendo chegado a Salamina, começaram a anunciar a palavra de Deus nas sinagogas dos judeus.

O livro dos Atos dos Apóstolos diz que a "palavra de Deus crescia e multiplicava-se". Faz lembrar o "crescei e multiplicai-vos" do Génesis. Escutando isto, pode surgir-te a dúvida: «Hoje, no meu tempo, porque parece que a Palavra não cresce e não se multiplica?» Só Deus sabe se cresce. Tu apenas sabes que podes fazer mais para difundir a Palavra.

O Espírito Santo falou aos cristãos de Antioquia enquanto celebravam o culto e jejuavam. E eles, depois de jejuarem e orarem, fizeram o que lhes fora pedido. O jejum é a oração do corpo. Quando precisares de mais luz, quando precisares de mais força, aí tens a fórmula: oração e penitência. E não temas: terás enorme alegria.

Certamente, gostavas de ser como os apóstolos... De facto, tens limitações. Mas não te apresses a pensar que não estás no mesmo barco. Volta a pensar naqueles primeiros cristãos: sinceramente, achas que eram super-homens? Vê, antes se, afinal, eram apenas supersensatos, deixando o Espírito Santo agir. Ouve de novo e aprende com eles.

Se é preciso rezar e jejuar, a pergunta que tens de fazer é simples: qual foi a última vez que rezaste pelas missões, pelos religiosos, pelos cristãos perseguidos?

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.